Previ desiste de promover fusão entre CPFL e Neoenergia

O fundo agora quer vender sua fatia na Neoenergia para a sócia Iberdrola e concentrar seus investimentos no setor na CPFL

São Paulo – A Previ desistiu de promover uma fusão entre seus dois ativos de energia elétrica, a CPFL e a Neoenergia. Segundo fontes, o fundo de pensão quer agora vender sua fatia na Neoenergia para a sócia Iberdrola e concentrar seus investimentos no setor na CPFL. O desejo da Previ vai em linha com os planos da empresa espanhola para o Brasil.

“Estamos negociando. (…) O objetivo é que a Iberdrola tenha maioria da Neoenergia”, afirmou ontem, em Madri, o presidente da empresa, Ignacio Sanchez Galán, durante uma teleconferência com analistas para divulgar os resultados da companhia. A empresa espanhola anunciou um lucro líquido 1,56 bilhão de euros no primeiro semestre, desempenho 6,6% superior ao registrado no mesmo período do ano passado.

No Brasil, a Iberdrola detém 39% da Neoenergia, enquanto a Previ é majoritária com 49% e o Banco do Brasil tem uma fatia de 12%. No evento, Galán explicou que vem trabalhando na reorganização dos negócios no País, movimento que inclui a incorporação da Elektro, adquirida no início do ano.

Em nota divulgada ontem, o fundo de pensão dos funcionários do Banco do Brasil limitou-se a informar que “continua avaliando as suas participações no setor de energia” e nega ter estipulado qualquer valor por sua participação na empresa.

Mas, segundo fontes, a operação está mesmo sendo alinhavada pela Previ, que espera vender suas ações na Neoenergia em uma operação conjunta com o Banco do Brasil. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.