Dólar R$ 3,27 -0,31%
Euro R$ 3,66 0,08%
SELIC 11,25% ao ano
Ibovespa 1,60% 62.662 pts
Pontos 62.662
Variação 1,60%
Maior Alta 9,53% JBSS3
Maior Baixa -1,42% EMBR3
Última atualização 23/05/2017 - 17:20 FONTE

Por que ninguém quis comprar o Twitter

A rede social não recebeu nenhuma oferta de compra, ainda que Google, Facebook, Microsoft e Apple estivessem entre os principais suspeitos

São Paulo –O Twitter está à venda. Com milhões de usuários produzindo conteúdo em tempo real, poderia ser uma ferramenta para recolher dados de comportamento e aumentar a precisão da publicidade.

No entanto, a rede social não recebeu nenhuma oferta de compra, embora gigantes como Google, Facebook, Microsoft e Apple estivessem entre os principais suspeitos para a aquisição.

Com isso, as ações da empresa despencaram 15% em apenas um dia e ela perdeu bilhões em valor de mercado, chegando a US$ 12,6 bilhões. O que aconteceu para que os compradores desistissem da operação?

“A primeira coisa que atrai qualquer um ao olhar para o Twitter é a quantidade de dados disponíveis. A rede dá uma visão muito ampla sobre como as pessoas se conectam e como se comunicam”, afirmou Jenny Sussin, diretora de Pesquisas da consultoria de tecnologia Gartner.

No entanto, muitos desses dados já estão abertos, acessíveis para qualquer um que queira analisá-los. “Por que uma empresa iria pagar pelo Twitter se ela já pode ter o seu ativo mais valioso, seus dados, de graça?”, diz a especialista.

“O acesso a demais dados e funcionalidades do Twitter vale US$ 20 bilhões? Provavelmente não”, afirmou. No entanto, se o valor das ações cair ainda mais, é provável que investidores voltem a ficar interessados.

A Salesforce é uma empresa que ainda estaria considerando a aquisição, afirmou a CNBC, mas o preço atual ainda estaria muito alto para aprovação dos acionistas.

Uma bagunça

O preço alto e a falta de atrativos úncios não são os únicos obstáculos entre a empresa do passarinho e possíveis compradores.

“O Twitter se tornou uma bagunça”, afirmou ela. “O conteúdo é difícil de organizar e há muitos trolls (pessoas empenhadas em disseminar o ódio e provocar os envolvidos em uma discussão na internet).” 

Além disso, a rede tem encontrado dificuldades para aumentar as receitas com propagandas e trazer novos usuários para a sua plataforma. Por isso, o seu valor de mercado foi do pico de US$ 50 bilhões, em 2013, ano do seu IPO, para apenas US$ 12,6 bilhões no início da semana. 

Aumento da competição

A rede social, que surgiu em 2006, hoje tem 313 milhões de usuários ativos e 3.860 funcionários em mais de 35 escritórios ao redor do mundo.

Com apenas 10 anos, a rede social já vivenciou mudanças radicais no seu mercado. Quando ela surgiu, o seu modelo era inovador e não havia nada igual. Com mensagens curtas, qualquer um poderia se comunicar com o mundo e alcançar pessoas que nunca imaginaria, em tempo real.

Uma década depois, muitos competidores surgiram e ameaçam a companhia, afirma Sussin. Aplicativos de mensagens, como o Facebook Messenger, Whatsapp, Telegram e Viber, se multiplicaram, ocupando o lugar do Twitter para conversas. Além disso, usuários também podem postar o que estão pensando no Snapchat.

“A empresa está reconhecendo que precisa mudar. Talvez por isso, está buscando um comprador para olhar seu negócio por outro ângulo”, afirma a consultora.

Se não encontrar, pode trilhar o mesmo caminho do Myspace, rede social que ainda existe mas é pouco relevante.

Comentários

Não é mais possível comentar nessa página.

  1. Leonardo Irwin Plaça

    isso que da limitar o tamanho da mensagem..(“twitte”), tudo bem que é uma característica do ambiente, mas poderiam abrir mão disso para tentar voltar ao interesses do publico maior (galera do textão), esse limite é o melhor e o pior deles na minha opinião, pegaram a onda dos gifs com tumblr e de enquetes do face, mas e ai?.. bem eu não sou usuário ativo e meio que nunca fui, então não posso falar muita coisa só queria deixar aqui minha opinião