Dólar R$ 3,27 0,13%
Euro R$ 3,63 -0,15%
SELIC 11,25% ao ano
Ibovespa -0,51% 63.761 pts
Pontos 63.761
Variação -0,51%
Maior Alta 3,64% FIBR3
Maior Baixa -2,44% CIEL3
Última atualização 29/05/2017 - 17:21 FONTE

Petroleiros querem retorno das negociações com Petrobras

No fim de dezembro, 10 dos 13 sindicatos filiados à federação aprovaram o início de uma greve, sem registro de grande adesão dos trabalhadores

Rio de Janeiro – A Federação Única dos Petroleiros (FUP), que reúne a maior parte dos sindicatos de funcionários da Petrobras, informou que se reuniu nesta quinta-feira com a petroleira para buscar uma retomada das negociações sobre o acordo trabalhista de 2016.

No fim de dezembro, 10 dos 13 sindicatos filiados à federação aprovaram o início de uma greve, sem registro de grande adesão dos trabalhadores e encerrada poucos dias depois, para uma avaliação do movimento.

O coordenador-geral da FUP, José Maria Rangel, explicou à Reuters que a reunião desta quinta-feira foi para apresentar ao setor de Recursos Humanos as demandas da categoria.

Dentre elas, os sindicatos querem a prorrogação do atual Acordo Coletivo de Trabalho até 31 de agosto de 2018 e a reposição da inflação nos salários.

“A escalada neoliberal instalada, que, entre outros ataques, vem para retirar direitos da classe trabalhadora, norteou a FUP a reivindicar a prorrogação do atual acordo até 31 de agosto de 2018”, disse a FUP, em uma nota publicada em seu site.

A empresa chegou a propor opção de redução da jornada diária de trabalho de 8 para 6 horas, mediante redução de 25 por cento da remuneração, para empregados em horário flexível e sem função gratificada. Além disso, está oferecendo reajuste salarial abaixo da inflação de 2016.

Após a aprovação da greve, a Petrobras chegou a pedir uma mediação ao Tribunal Superior do Trabalho (TST), como forma de buscar avanços nas discussões, mas que foi negado.

Procurada, a empresa não respondeu aos pedidos de comentários nesta quinta-feira.

Em posicionamento no fim de dezembro, a empresa afirmou que haviam sido realizadas diversas reuniões e apresentadas quatro propostas, que buscaram atender às demandas dos sindicatos dentro das limitações financeiras da Petrobras.