Petrobras nega que autoridades tenham parado trabalho na plataforma P-65

Sindicato afirma que a Superintendência Regional do Trabalho e Emprego interditou a plataforma após comunicado de pendências de segurança

São Paulo – Em relação à vistoria da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego do Rio de Janeiro (SRTE-RJ) na plataforma P-65, a Petrobras informou que essa plataforma P-65 encontra-se em parada programada de manutenção desde o último dia 23.

Os fiscais da Superintendência Regional do Trabalho e Emprego (SRTE-RJ) interditaram ontem (26/05) a plataforma P-65, segundo o Sindicato dos Petroleiros do Norte Fluminense (Sindipetro-NF). Os trabalhadores haviam enviado 34 pendências de segurança ao Sindicato para que os órgãos fiscalizadores fossem comunicados e ocorresse a fiscalização da unidade. Procurada pela reportagem, a Superintendência está apurando a informação.

A Petrobras informou que a P-65 não é produtora de petróleo, ela auxilia no tratamento do óleo de outras unidades, em processo complementar ao da plataforma PCE-1 (Enchova). A parada não impacta a produção de petróleo da empresa, segundo a Petrobras.

Parte das não conformidades apontadas na vistoria da STRE/RJ já havia sido identificada anteriormente pela Petrobras e encontra-se em fase de conclusão pela equipe técnica, segundo a empresa. A unidade foi adquirida pela Petrobras em 2009.