Petrobras cria barreiras para a ação de auditorias, diz TCU

Estatal teria feito manobras jurídicas para travar a ação do Tribunal de Contas da União, segundo matéria da Folha de S. Paulo

São Paulo – O TCU (Tribunal de Contas da União) apontou manobras jurídicas, sonegação e atraso de informações em auditorias por parte da Petrobras, segundo reportagem da Folha de S. Paulo deste domingo.

É papel do TCU avaliar contratos de obras bilionárias, como a compra da refinaria de Pasadena, nos Estados Unidos.

À reportagem, o procurador do TCU Marinus Marsico, responsável pela análise da compra da refinaria americana em 2012, afirmou que a Petrobras deixou de encaminhar vários atos que foram solicitados.

Segundo a Folha, o órgão aponta ainda falta de cooperação na fiscalização das obras na refinaria de Abreu e Lima, em Pernambuco. De acordo com o TCU, há suspeitas de irregularidades que alcançam R$ 1,6 bilhão apenas nos cinco principais contratos da obra.

A demora na entrega dos pedidos também seria algo comum na companhia, diz o texto.

Em nota publicada na reportagem, a Petrobras informou que o atendimento aos órgãos de controle “está em processo de contínua melhoria, sendo o fortalecimento do diálogo institucional materializado, dentre outros exemplos, pela criação de Grupos de Trabalho e Acordos de Cooperação”.