Petrobras assinará contrato com Brasfels para sondas

A Petrobras e a Sete Brasil também devem assinar em um prazo de até 30 dias o acordo para contratação de sondas junto ao Estaleiro Enseada do Paraguaçu (EEP)

São Paulo – A presidente da Petrobras, Maria das Graças Foster, revelou nesta sexta-feira que a estatal e a Sete Brasil, empresa que tem a própria Petrobras entre os acionistas, assinarão na próxima semana o contrato com a Brasfels para a construção de seis sondas. Os equipamentos serão construídos em Angra dos Reis (RJ) e fazem parte de um programa de compra de sondas pela estatal, no total de 21 contratadas junto à Sete Brasil. “Vamos marcar em cima para que a entrega ocorra no prazo”, afirmou.

A Petrobras e a Sete Brasil também devem assinar em um prazo de até 30 dias o acordo para contratação de sondas junto ao Estaleiro Enseada do Paraguaçu (EEP), em construção na Bahia, cuja pedra fundamental foi lançada nesta sexta-feira. Além disso, a estatal deve contratar outras cinco sondas junto à Ocean Rig, termo ainda em discussão entre as partes, segundo Graça Foster.

Durante coletiva de imprensa realizada na Bahia, a executiva também afirmou que o terminal de regaseificação a ser instalado no Estado, o terceiro do tipo no Brasil, entrará em operação em setembro de 2013. O prazo representa um atraso de quatro meses em relação à expectativa anterior, de maio de 2013.

No mesmo evento a executiva foi econômica nos comentários sobre o reajuste de 6% do diesel anunciado na quinta-feira pela companhia. Dizendo-se curiosa sobre qual teria sido o impacto do reajuste nas ações da Petrobras, Graça afirmou que o aumento era “bom, muito bom”, após saber que as ações chegaram a subir mais de 5% nesta sexta-feira.

Ela lembrou que o anúncio foi antecedido por reajustes nos preços da gasolina (7,83%) e do óleo combustível (10%), além de um aumento anterior de 3,94% no próprio diesel.

Diretoria e trabalhadores

Graça Foster também revelou que a diretoria da Petrobras deve se reunir novamente com representantes dos trabalhadores para discutir as condições de pagamento da Participação nos Lucros e Resultados (PLR) 2011. O encontro ocorrerá no dia 17. A executiva, entretanto, não informou se a empresa apresentará uma nova proposta. Perguntada sobre o assunto, Graça afirmou que será “mais uma conversa”.

A Petrobras propôs aos trabalhadores uma redução de 7,8% no valor da PLR a ser pago este ano, variação baseada na queda do lucro líquido registrado pela estatal em 2011. Os trabalhadores, por sua vez, defendem que a estatal reajuste o valor em 2,3%, número baseado no aumento do valor pago pela Petrobras aos detentores de dividendos.

Os trabalhadores, liderados pela Federação Única dos Petroleiros (FUP), cogitam iniciar uma greve geral em 20 de julho.