Peru quer informações sobre subornos da Odebrecht no país

O governo peruano quer investigar a informação de que a construtora brasileira pagou subornos a funcionários peruanos entre 2005 e 2014

Lima – O governo e a promotoria do Peru pedirão informações aos Estados Unidos e ao Brasil sobre os US$ 29 milhões em subornos que a construtora brasileira Odebrecht admitiu ter pago a funcionários peruanos entre 2005 e 2014.

“Nós temos feito a coordenação com a promotoria porque são eles os chamados a processar a informação que se tenha tanto do Brasil como dos Estados Unidos”, afirmou em entrevista coletiva o primeiro-ministro peruano, Fernando Zavala.

Na quarta-feira, a Odebrecht e uma de suas petroquímicas, a Braskem, se declararam culpadas por pagar subornos em um tribunal dos Estados Unidos, após uma investigação no Brasil de uma grande rede de corrupção.

O Departamento de Justiça dos EUA informou que a Odebrecht reconheceu ter pago US$ 29 milhões a funcionários peruanos para conseguir um contrato de US$ 143 milhões.

Os pagamentos foram feitos durante os governos de Alejandro Toledo, Alan García e Ollanta Humala.

Em seu acordo em um tribunal federal de Nova York, a Odebrecht detalhou que em 2005 participou de uma licitação para um projeto de infraestrutura no Peru que depois ganhou e pelo qual pagou por volta de US$ 20 milhões.

Segundo o documento, a Odebrecht também participou de uma licitação em 2008 para um projeto de transporte avaliado em US$ 400 milhões que a empresa venceu após pagar US$ 1,4 milhão a um alto funcionário governamental e para integrantes do comitê do leilão.

No Peru há quatro investigações ligadas a uma grande rede de corrupção no Brasil, mas somente uma delas envolve a Odebrecht.

Esse caso se refere a uma licitação de 2014 de um projeto para construir um gasoduto no sul peruano, na qual apenas a Odebrecht se apresentou e consequentemente ganhou o contrato. Fonte: Associated Press.