Oi busca resultados de investimentos em 2012 e 2013

A empresa também aguarda o edital final para o leilão da frequência de 2,5 Ghz destinado à Internet de quarta geração no país

Rio de Janeiro – A Oi esperar colher em 2012 e 2013 os resultados de seus investimentos no último ano, melhorando as margens e a receita mesmo em um momento de forte competição no mercado de telecomunicações.

A empresa também aguarda o edital final para o leilão da frequência de 2,5 Ghz destinado à Internet de quarta geração (4G) no país, a fim de analisar sua participação no certame, disseram executivos da companhia nesta sexta-feira.

A Oi divulgou uma queda na receita operacional líquida e na geração de caixa no último trimestre de 2011, apertando a margem Ebitda da empresa para 26,4 por cento no período, frente a 31,2 por cento de outubro a dezembro de 2011.

“A margem caiu em função de estarmos investindo agora para colher os frutos ao longo de 2012 e 2013”, disse o diretor financeiro da Oi, Alex Zornig, em teleconferência com jornalistas.

Segundo ele, os investimentos em lojas próprias e contratação de pessoal, por exemplo, devem ajudar a operadora a melhorar seus resultados operacionais nos próximos anos. “Tudo isso gera um custo agora para ter a receita (maior) depois.” A maior operadora de telefonia por cobertura geográfica do Brasil também deve continuar investindo nas suas redes, e inclusive estuda participação no leilão 4G, que ainda será avaliado tão logo saia a versão final do edital, programado para abril, afirmou o presidente da empresa, Francisco Valim.

“Vamos analisar como vamos participar (do leilão)… entendendo a importância de continuar investindo no mercado de telefonia móvel”, disse Valim.

Valim não forneceu nenhuma estimativa futura de investimentos, afirmando que a Oi divulgará projeções de orçamento em encontro com investidores em 17 de abril no Rio de Janeiro.

O número de cancelamentos sobre a base total de assinantes, o chamado “churn”, cedeu no último trimestre do ano passado na comparação anual, e deve “cair bastante” no primeiro trimestre de 2012, segundo Zornig, em função da nova estratégia de operação da empresa -dividida entre os segmentos residencial, empresarial e de mobilidade pessoal.

Às 12h39, a ação preferencial da Oi S.A. tinha queda de 1,98 por cento, a 9,91 reais. O papel preferencial da Tele Norte Leste, antiga holding, subia 0,1,26 por cento, a 21,083 reais.

Lucro líquido

Depois de ter sua reorganização societária aprovada em fevereiro por acionistas, o grupo já divulgou o lucro líquido da Oi S.A. -nova denominação da Brasil Telecom e que será o único veículo em bolsa da companhia.


O lucro líquido da Oi S.A. foi de 141 milhões de reais no quarto trimestre, queda de 80 por cento sobre o mesmo intervalo do ano anterior.

O lucro anual foi de 1 bilhão de reais, praticamente metade do 1,97 bilhão de 2010, impactado principalmente pelos custos de preparação para reestruturação feita no ano passado -como novos investimentos e pagamento do direito de recesso a acionistas-, explicou Zornig.

O resultado da Oi S.A. será base para o cálculo dos dividendos de 2011, segundo comunicado da empresa. Os dividendos propostos à assembleia geral ordinária totalizam 2 bilhões de reais -lucro acrescido de fundos da reserva de investimento.

Dados operacionais

Para melhor entendimento do mercado, os resultados operacionais foram divulgados a partir de dados pro-forma da antiga holding Tele Norte Leste Participações.

A geração de caixa medida pelo lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização (Ebitda, na sigla em inglês) foi de 1,84 bilhão de reais no quarto trimestre, queda de 19,2 por cento em comparação com um ano antes. Analistas consultados pela Reuters esperavam, em média, 2,1 bilhões de reais.

A margem Ebitda da companhia no trimestre caiu para 26,4 por cento, ante 31,2 por cento um ano antes. A previsão média do mercado era de 30,1 por cento.

A receita líquida pro-forma somou 6,96 bilhões de reais no quarto trimestre, queda de 4,7 por cento e praticamente em linha com o esperado por analistas.

No ano, a receita totalizou 27,9 bilhões de reais, recuo de 5,3 por cento sobre 2010.

A base de unidades geradoras de receitas no segmento móvel cresceu 14,6 por cento, para 43,26 milhões, com receita média por usuário (Arpu) recuando de 23,5 reais para 22,3 reais.

No segmento residencial, a empresa informou queda de 11,5 por cento na receita líquida, enquanto no segmento corporativo o recuo foi de 1,3 por cento.

A Oi encerrou 2011 com caixa disponível de 13,4 bilhões de reais, avanço de 19,6 por cento sobre 2010. A dívida líquida recuou 12,8 por cento, para 16,3 bilhões de reais.