O raio-X de diversidade de quem trabalha no Facebook

Praticamente todos os indicadores tiveram melhora, em comparação a 2016

São Paulo – O Facebook está mais diverso. Há cada vez mais mulheres em relação aos homens e outras etnias também ganham espaço, especialmente asiáticos.

A rede social solta, todos os anos, o relatório da diversidade de seus funcionários. Em termos de gênero, o balanço é global. Já em termos de etnia, a pesquisa abrange apenas os escritórios dos Estados Unidos.

Praticamente todos os indicadores tiveram melhora, em comparação a 2016. No entanto, a mudança ainda é pequena. A empresa continua, predominantemente, masculina e branca.

Nos últimos 4 anos, o número de funcionárias mulheres na empresa aumentou apenas 4 pontos percentuais, por exemplo.

Asiáticos são o grupo que mais cresce e já são maioria nas áreas técnicas. Negros e hispânicos ainda são uma minoria tímida nos números da empresa de Mark Zuckerberg.

As mulheres são maioria nas áreas que não são técnicas. Elas são 55%, contra 45% dos homens. No entanto, quando se trata de trabalhos técnicos, mulheres são apenas 19%, contra 81% dos homens.

A diferença de gênero também é grande na alta liderança: apenas 28% são mulheres.

A única métrica que permaneceu a mesma foi a etnia na alta liderança: a grande maioria, 71%, continua sendo branca, mesmo número do ano passado.

Veja todos os dados e a comparação com os dois anos anteriores no gráfico abaixo.

Suporte

Entre os esforços da companhia para mudar seus números, estão programas para gerenciar preconceitos inconscientes, por exemplo. O Facebook também tem o compromisso de entrevistar minorias para as suas vagas abertas.

Para mulheres em cargos de liderança, a empresa realiza eventos para fortalecer laços e dar ferramentas para o desenvolvimento da carreira.

O Dia da Liderança das Mulheres, inclusive, inspirou a empresa a criar o Dia da Liderança Negra no ano passado. Também há planos para realizar um evento voltado a latinos e hispânicos.

A companhia ainda incentiva a formação de grupos de suporte, voltados a minorias étnicas, pessoas de diferentes fés e crenças, veteranos de guerra, público LGBT, entre outros.