O McDonald's teve receita trimestral abaixo das estimativas de analistas e alertou que as vendas globais comparáveis para outubro devem ficar relativamente estáveis, o que fazia suas ações caírem nesta segunda-feira.

As vendas nas lojas abertas há pelo menos 12 meses subiram 0,9 por cento no terceiro trimestre, ante expectativa de analistas de um aumento de 1 por cento, de acordo com a Consensus Metrix.

Uma pesquisa recente do Goldman Sachs sugeriu que o McDonald's, que ultimamente tem ficado atrás de rivais na introdução de novos itens de menu, pode estar perdendo a predileção dos clientes.

Nos Estados Unidos, as vendas comparáveis subiram 0,7 por cento, mas ficaram abaixo da média de 0,9 por cento esperada por analistas. As vendas comparáveis nas regiões Ásia/Pacífico, Oriente Médio e África tiveram um declínio de 1,4 por cento, mais alto que o estimado.

A empresa está lutando para acelerar as vendas nos Estados Unidos após rivais menores, como a rede Wendy e o Burger King, terem lançado novos itens de menu e ofertas por tempo limitado.

O McDonald's já havia visto um aumento nas vendas a partir da introdução de novos itens, como aveia, wraps e lattes, mas seu menu mais complexo diminuiu o serviço no drive-thru.

A maior rede de restaurantes do mundo em receita anunciou um lucro líquido trimestral de 1,52 bilhão de dólares, ou 1,52 dólar por ação, ante 1,46 bilhão de dólares, ou 1,43 dólar por ação, um ano antes.

A receita subiu 2,4 por cento, para 7,32 bilhões de dólares.

Analistas, em média, esperavam lucro de 1,51 dólar por ação e receita de 7,34 bilhões, segundo a Thomson Reuters I/B/E/S.

As margens dos restaurantes, tanto de franqueados quanto de estabelecimentos operados pela companhia, caíram no trimestre.

Às 12h09 (horário de Brasília), a ação da companhia recuava 1,02 por cento. O S&P 500 avançava 0,12 por cento.

Tópicos: Alimentos, Trigo, Empresas, McDonald's, Alimentação, Comida rápida, Hotelaria e Restaurantes, Empresas americanas, Comércio, Franquias, Vendas