São Paulo - O vice-presidente sênior da Toyota do Brasil, Luiz Carlos Andrade Jr., avaliou nesta terça-feira, 22, que o mercado brasileiro de 3,8 milhões de unidades comercializadas este ano "não é saudável" e que o crescimento ocorre de forma artificial. "Sei que não é fácil falar, mas o problema principal foi construir esse mercado de uma forma não sadia, por meio de promoções e descontos", disse. "Fazer venda à custa de prejuízos acumulados não tem sustentação", completou o executivo, durante o Congresso Autodata, em São Paulo (SP).

Andrade avaliou que as vendas da montadora no Brasil devem crescer 3,2% em 2014 ante 2013, de 176,3 mil para 182 mil, um crescimento considerado modesto por ele, mas em um cenário de estabilidade nas vendas em 3,8 milhões de veículos. Já a produção da montadora deve avançar 5% e as exportações devem crescer 18% no próximo ano, puxada pelas vendas para a Argentina do compacto Etios.

O vice-presidente da Corolla admitiu a possibilidade de a Toyota ter no Brasil um veículo médio entre o pequeno Etios e o sedã Corolla, mas evitou fazer projeções sobre quando ele seria produzido. "Ainda existe um espaço muito interessante entre Corolla e o Etios, mas quis apenas mostrar qual o caminho para onde a Toyota pode crescer", afirmou.

Andrade anunciou ainda que a Toyota lançará a versão "cross" do Etios ainda este ano e que a fábrica de motores em Porto Feliz (SP) deve começar a operar no segundo semestre de 2013 para abastecer os veículos produzidos aqui pela montadora.

Tópicos: Autoindústria, Setores, Indústrias em geral, Indústria, Toyota, Empresas, Montadoras, Empresas japonesas