São Paulo - A Tim Participações pretende eliminar cerca de 8 por cento de sua força de trabalho da unidade brasileira em um primeiro passo para reduzir custos e melhorar a eficiência, de acordo com duas pessoas familiarizadas com o assunto.

A redução de pessoal na Tim envolveria cerca de 1.000 trabalhadores de tempo integral, disseram as pessoas que pediram para não ser identificadas porque a informação não é pública. Os cortes devem ocorrer até o final de março, disse uma das pessoas. 

A Telecom Italia pretende anunciar os detalhes das reduções de custos aos sindicatos até 16 de fevereiro. O plano também inclui a criação de uma unidade de negócios para 180 lojas da Tim, que empregam cerca de 2.000, disse a pessoa.

A reorganização da unidade brasileira será discutida pelo conselho da Telecom Italia em 15 de fevereiro, quando a empresa também analisará os dados financeiros de 2015 e o novo plano de negócios, disseram as pessoas. 

A Tim também está avaliando a terceirização parcial de seus call centers, que empregam 5.000 trabalhadores, disseram as pessoas. Um porta-voz da Telecom Italia se recusou a comentar.

A Tim tem cerca de 13.000 trabalhadores no Brasil, incluindo a equipe de call center. A empresa registrou no ano passado vendas de R$ 17,1 bilhões de reais (US$ 4,4 bilhões).

Em outubro, a LetterOne, empresa de investimentos de Mikhail Fridman, concordou em iniciar negociações com a Oi para injetar até US$ 4 bilhões na empresa para ajudar em uma fusão com a Tim.

A empresa resultante de uma fusão de Tim e Oi teria uma participação de mercado de cerca de 44 por cento no Brasil, de acordo com dados da Anatel. Os concorrentes incluem a Telefônica e a Claro.

Posicionamento da TIM

A companhia enviou o seguinte comunicado, depois da publicação desta matéria:*

A TIM Brasil lidera desde o segundo semestre de 2015 um plano de eficiência que abrange todas as áreas da companhia, com revisão ampla de processos e atividades.

O plano tem como meta a redução dos custos recorrentes de R$ 1 bilhão até o segundo semestre de 2017, e está sendo realizado com grande disciplina com o objetivo de gerar perspectivas sempre melhores para as operações e para a capacidade de investimento da companhia.

A operadora não divulgou qualquer número referente a ajustes no quadro de pessoal. O Grupo TIM apresentará em Londres no dia 16 de fevereiro as linhas do plano estratégico 2016-2018.

* atualizado 10h30, de 11/02/2016

Tópicos: Mercado de trabalho, TIM, 3G, Empresas, Telecomunicações, Operadoras de celular, Empresas italianas, Serviços, Empresas abertas