São Paulo - O vice-presidente executivo de Finanças, Controladoria & RI da Gerdau, Andre Pires de Oliveira Dias, disse, nesta quinta-feira, 31, em teleconferência com a imprensa, que o aumento das exportações a partir das operações da Gerdau no Brasil ocorreu devido "a oportunidades pontuais no mercado", pela taxa cambial que tornou mais atrativa as vendas externas.

As exportações a partir da unidade brasileira chegaram a 369 mil toneladas, queda de 18,4% em relação ao visto no mesmo período do ano anterior. No entanto em relação ao segundo trimestre do ano subiu 40,8%.

Segundo o executivo, esse aumento das exportações no terceiro trimestre em relação ao trimestre imediatamente anterior não significou uma mudança da estratégia da empresa e, para os próximos períodos a tendência é que as vendas ao mercado interno voltem a crescer, conforme visualizado nos números da empresa no acumulado do ano.

Minério de ferro

A venda de minério de ferro a terceiros pela Gerdau deverá atingir neste ano um volume entre 700 mil toneladas e 750 mil toneladas, afirmou, Oliveira Dias.Para 2014 a projeção da siderúrgica gaúcha é que as vendas de minério a terceiros alcance algo entre 4 milhões de toneladas e 5 milhões de toneladas.

No fim deste ano, a empresa alcançará o ritmo de produção de 11,5 milhões de toneladas, a capacidade de produção da companhia. Dessa forma no ano que vem o consumo próprio de minério deverá ficar entre 5 milhões de toneladas e 6 milhões de toneladas, volume que torna a empresa autossuficiente nesse insumo.

No mês de setembro entrou em operação a nova unidade de tratamento de minério de ferro em Miguel Burnier (MG), que elevou a capacidade de produção da mina de 6,5 milhões para 11,5 milhões de toneladas por ano.

Pires destacou que o foco das vendas a terceiros de minério de ferro será o mercado externo, mas o executivo disse que a execução desse objetivo depende de muitos fatores, como demanda externa e taxa cambial.

O planejamento da Gerdau prevê que a sua capacidade de produção de minério de ferro subirá das 11,5 milhões de toneladas para 18 milhões de toneladas em 2016. O presidente da Gerdau, André Gerdau Johannpeter disse que a empresa está avaliando a necessidade de novos investimentos no segmento de mineração, especialmente em logística.

Porto

O vice-presidente de Finanças da Gerdau disse que a empresa segue estudando as suas alternativas portuárias, mas que a empresa possui "relativa tranquilidade" em relação à logística pelos próximos dois anos. "Temos capacidade contratada (para embarques em portos) para os próximos dois anos e para o médio prazo estamos vendo alternativas", destacou.

Tópicos: Câmbio, Comércio exterior, Exportações, Gerdau, Siderúrgicas, Empresas, Siderurgia, Siderurgia e metalurgia, Empresas brasileiras