São Paulo - A receita da companhia de cosméticos Avon cresceu 1% no Brasil no terceiro trimestre de 2013. O resultado leva em conta o efeito da variação cambial. Considerando-se o dólar constante, o faturamento da companhia no País subiu 13% no período. A Avon não revela a receita líquida por país, apenas a variação.

A companhia informou que o resultado teve impacto positivo do reconhecimento de créditos tributários no país. De acordo com a Avon, houve reconhecimento de US$ 22 milhões em crédito tributário no Brasil no terceiro trimestre devido a uma mudança na estimativa do montante a ser recuperado.

A companhia informou que o impacto do reconhecimento de crédito tributário é de 4 pontos na receita consolidada do País em dólar constante.

Sobre o Brasil, a Avon informou ainda que houve elevação da média dos pedidos, principalmente por causa dos preços. A empresa credita o desempenho de receita ainda aos novos lançamentos de produtos de beleza e na categoria Moda e Casa.

Entre os lançamentos importantes no Brasil, a companhia cita a nova linha de maquiagem, a fragrância "Garota de Ipanema" e a linha "Encanto", de cuidados para a pele. A operação brasileira é a maior da companhia.

Na América Latina, a receita do terceiro trimestre foi de R$ 1,207 bilhão, queda de 5% na comparação anual. Considerando o dólar constante, haveria alta de 6%, segundo a empresa. No continente, o número de revendedoras ativas caiu 1% e o número de unidades vendidas reduziu 6%. Houve, porém, elevação nos preço médio dos pedidos, que cresceu 7% na comparação anual considerando o dólar constante.

A margem operacional da Avon na América Latina foi de 10,1%, diminuição de 110 pontos base. Segundo a companhia, houve um impacto de investimentos mais altos para lançamentos de produtos no Brasil e também de despesas legais e de provisões para dívidas duvidosas, em grande parte no Brasil.

Tópicos: Empresas, Avon, Empresas americanas, Indústria de cosméticos, Lançamentos, Lucro