Aguarde...

Futebol | 16/09/2011 06:00

Quem vai ganhar dinheiro, mesmo, com a venda de Neymar

No leilão promovido pelo Santos entre Real Madrid e Barcelona, o craque será um dos que menos vai ver euros em sua conta corrente

Renato Pizzutto/Placar

Neymar em jogo do Santos

Neymar em campo: nos últimos 19 meses, o Santos conquistou 20.000 novos sócios. O total é superior aos 18.491 novos associados dos dez anos anteriores

São Paulo – Já ganhou ares de leilão a provável venda de Neymar a um clube europeu. A disputa entre o Real Madrid e o Barcelona já chutou o valor do negócio a estimados 60 milhões de euros (cerca de 142 milhões de reais). Uma fortuna equivalente a mais de 50 anos de trabalho de presidentes executivos que atuam no Brasil, considerando o seu salário médio. Mas Neymar será um dos que menos ganharão no negócio. O grosso do dinheiro irá para outros bolsos.

Neymar, pode-se dizer, tem três “donos” – os investidores que detem seus direitos econômicos. O maior dele sé o próprio Santos, que deve receber pelo menos 55% do valor da transação (ou 33 milhões de euros). E o clube poderia lucrar ainda mais. Isto porque seu principal sócio nos direitos de Neymar é a DIS, com 40% de participação.

A DIS é a empresa de negócios esportivos de Delcir Sonda, o dono da rede de supermercados Sonda. E uma de suas principais fontes de lucro. Delcir é dono, entre outros, de 45% do passe de outra estrela do Santos, Paulo Henrique Ganso. Em sua carteira, também constam jogadores como D’Alessandro, do Internacional, e Dentinho, do Corinthians.

Dependendo da vontade da DIS de vender Neymar, a empresa pode abrir mão de parte de seus direitos em prol do Santos, com o objetivo de convencer o clube a liberar o jogador. E este é o verdadeiro jogo de bastidores envolvendo a transferência do atacante para a Europa.

Fica, Neymar

É público que o Santos não quer vender o jogador. Pessoas próximas dizem que, para o time, o melhor seria ter um contrato vitalício com o Neymar, já que o craque garante o crescimento da torcida. No meio futebolístico, diz-se que até o filho da presidente do Flamengo, Patrícia Amorim, após o último jogo entre Flamengo e Santos, falou para a mãe que torcia para o Peixe – por causa do Neymar. 

Verdade ou boato, a história exemplifica um fato: nos últimos 19 meses, o Santos conquistou 20.000 novos sócios. O total é superior aos 18.491 novos associados dos dez anos anteriores. Entre 2009 e 2010, o patrocínio e a publicidade cresceram 12 milhões de reais. A bilheteria aumentou 9,1 milhões de reais. O clube social e amador subiu 2,4 milhões de reais. 

 “Para o Santos é muito mais negócio manter Neymar do que vendê-lo por 100 milhões de reais. Isso ele faz em um ano e meio em marketing”, disse Amir Somoggi, diretor da área de consultoria esportiva da BDO CRS. O jogador tem potencial para gerar entre 30 e 40 milhões de reais por ano, segundo o consultor. Ele calcula que, até 2014, ano de Copa do Mundo no Brasil, a tendência é de crescimento do valor que o craque pode agregar ao time.

Efeito moicano

Entre 2009 e 2010, o faturamento do Santos cresceu 65% - passou de 70 milhões de reais para 116,5 milhões de reais. Excluído o crescimento da receita com a venda de jogadores, o valor aumentou 30 milhões de reais. Esse crescimento pode ser diretamente relacionado ao Neymar, segundo Somoggi. “O Santos fatura muito pouco perto do que pode faturar, mas vem de estagnação ao longo dos anos”, disse.

Comentários  

Editora Abril

Copyright © Editora Abril - Todos os direitos reservados