São Paulo – Pelos próximos 20 anos, o Aeroporto Internacional de Guarulhos, ou Cumbica, para os paulistanos, será administrado por um consórcio composto por fundos de pensão brasileiros e pela operadora estatal sul-africana de aeroportos – a Airports Company South Africa (ACSA).

A concessão foi arrematada na manhã desta segunda-feira. O consórcio ofereceu 16,213 bilhões de reais pelo direito de operar o maior aeroporto do país. O lance foi 26% maior que os 12,863 bilhões propostos pelo segundo colocado, o consórcio Aeroportos do Brasil, formado pela Triunfo Participações, UTC e Egis Airport.

Os fundos de pensão, representados pela Invepar, detêm 90% do consórcio vencedor. Já a ACSA responde pelos 10% restantes. Veja, a seguir, qual é a experiência dessas empresas no ramo de concessões públicas:

Invepar: foco em metrô e rodovias

A Invepar foi fundada em março de 2000, com o objetivo de participar de concessões no setor de infraestrutura. Atualmente, seus sócios são a Previ (fundo de pensão dos funcionários do Banco do Brasil); Petros (dos funcionários da Petrobras); Funcef (da Caixa Econômica Federal) e o grupo OAS.

Além do recém-conquistado aeroporto de Cumbica, a Invepar detém outras seis concessões em infraestrutura: o Metrô Rio, que opera as linhas 1 e 2 do metrô carioca; a Bahia Norte, em parceria com a Odebrecht, que opera as rodovias do sistema BA 093; Linha Amarela, uma das mais importantes vias expressas do Rio de Janeiro; CLN, que administra a rodovia BA 099, no Norte da Bahia; Cart, consórcio que opera a rodovia Raposo Tavares; CRT, da rodovia Rio-Teresópolis; e a CRA, responsável pelo complexo viário de Suape, em Pernambuco.

A Invepar encerrou 2010 (dados mais recentes) com uma receita de 740,483 milhões de reais, e um prejuízo líquido de 10,7 milhões de reais.

ACSA: a estatal dos aeroportos sul-africanos

Criada em 1993, a Airports Company South Africa (ACSA) é a companhia estatal que administra os aeroportos da África do Sul. Sem contar Cumbica, a ACSA opera 10 aeroportos no país: O.R.Tambo; Cape Town; King Shaka; Port Elizabeth; East London (apesar do nome, fica na África do Sul); Bloemfontein; George Airport; Upington; Kimberley; e Pilanesberg.

Além deles, a ACSA também participa, desde 2006, do consórcio que opera o aeroporto internacional de Mumbai (Mial), na Índia. A estatal encerrou 2010 (últimos dados disponíveis) com uma receita de 4,658 bilhões de rands (cerca de 617 milhões de dólares).

Tópicos: ACSA, Empresas, Aeroportos, Aeroporto de Guarulhos, Transportes, Transportes no Brasil, Aeroportos do Brasil, Setor de transporte, Setores, Concessionárias, Diversificação, Invepar, Privatização, Serviços, Sócios, África do Sul, África