A Porsche está estudando propostas da Panasonic e da Robert Bosch para uma bateria de longo alcance em um momento em que se prepara para desafiar a Tesla Motors com um carro esportivo totalmente elétrico, segundo pessoas informadas sobre o assunto.

Os custos do pacote oferecido pela vizinha de cidade Bosch seriam mais elevados que os da tecnologia concorrente de seu par japonês Panasonic, que fornece baterias à Tesla, disseram as fontes, que pediram anonimato porque as negociações são confidenciais. A vantagem da oferta da Bosch seria a logística menos complexa.

“Estamos no estágio final de tomada de decisão”, disse o CEO da Porsche, Oliver Blume, em entrevista na semana passada no Salão Internacional do Automóvel de Genebra. Ele preferiu não comentar sobre as fornecedoras que estão sendo consideradas.

A unidade da Volkswagen, maior fabricante de veículos da Europa, separou 1 bilhão de euros (US$ 1,1 bilhão) para a fabricação de seu primeiro carro esportivo movido a bateria em dezembro. O veículo faz parte do impulso maior da empresa controladora para enfocar mais em carros híbridos e elétricos de baixa emissão. A Volkswagen acelerou seus esforços elétricos depois que admitiu, seis meses atrás, que havia fraudado testes de emissões dos carros a diesel.

O CEO da Audi, Rupert Stadler, disse há uma semana que a empresa, outra unidade da Volkswagen, comprará baterias para seus veículos elétricos das fornecedoras coreanas LG Chem e Samsung Electronics, que têm planos em andamento para começar a produzir células de bateria na Europa.

Investimento em elétricos

Com o escândalo da Volkswagen colocando o futuro do diesel no longo prazo em dúvida, outras fabricantes de veículos também estão se voltando para os carros elétricos. A Mercedes-Benz, da Daimler, disse na semana passada que investirá 500 milhões de euros na construção de uma segunda fábrica de baterias na Alemanha porque espera uma aceleração da demanda.

O carro esportivo elétrico da Porsche será baseado no Mission E, um conceito baixo exibido no Salão do Automóvel de Frankfurt há seis meses. Previsto para ser produzido perto da sede alemã da fabricante, em Stuttgart, o novo modelo criará cerca de 1.000 empregos.

Um porta-voz da Porsche fez menção à conferência anual de lucros da marca, programada para a manhã desta sexta-feira, e preferiu não comentar antecipadamente. A Bosch preferiu não comentar. Yayoi Watanabe, porta-voz da Panasonic, preferiu não comentar.

Tópicos: Empresas alemãs, Bosch, Empresas, Panasonic, Empresas japonesas, Empresas de tecnologia, Porsche, Montadoras