Aguarde...

Petróleo | 13/12/2011 15:11

O que deu errado para a Petrobras em 2011?

Estatal não vai bater a meta de produção pelo terceiro ano consecutivo, e o mercado já está impaciente

Bruno Veiga/Divulgação

Plataforma da Petrobras

Plataforma da Petrobras: estatal desagrada o mercado ao ficar aquém das metas

São Paulo – A Petrobras vai fechar 2011 devendo um desempenho mais emblemático – a ponto de deixar os investidores impacientes. “A Petrobras não entregou praticamente nada”, afirma Ricardo Corrêa, analista de energia da corretora Ativa

No topo da lista das frustrações do mercado, está a produção da estatal, que deve encerrar abaixo da meta pelo terceiro ano consecutivo. Oficialmente, a empresa afirma que lutará até o último dia do ano para atingir a produção esperada de 2,1 milhões de barris de petróleo por dia.

O presidente da Petrobras, José Sergio Gabrielli, chegou a apontar que a companhia vai atingir um pico de produção de 2,2 milhões de barris em dezembro. Os analistas afirmam, porém, que mesmo o pico será insuficiente para colocar a média diária de produção dentro da meta.

Entre janeiro e setembro, a estatal produziu pouco mais de 2 milhões de barris diariamente. Caso o pessimismo do mercado seja confirmado, este será o terceiro ano consecutivo que a Petrobras não bate sua meta.

Sal grosso

Acostumada a lidar com termos como pós-sal e pré-sal, a Petrobras precisa também de um pouco de sal grosso. Segundo os especialistas, até o azar rondou a estatal neste ano. O caso é o do Campo de Golfinho, no litoral do Espírito Santo.

Uma das boas apostas da Petrobras para 2011, Golfinho não rendeu o que se esperava – atualmente, ele produz mais água do que petróleo. Por volta de outubro, o campo produzia cerca de 26.000 barris diários, menos de 10% dos 300.000 estimados.

Comentários  

Editora Abril

Copyright © Editora Abril - Todos os direitos reservados