A Nokia registrou um lucro operacional de 118 milhões de euros no terceiro trimestre de 2013. A diferença é bastante grande se comparada com o prejuízo de 576 milhões de euros apresentado no mesmo período do ano passado.

A área de serviços e dispositivos teve o resultado esperado, com um prejuízo de 86 milhões de euros. Espera-se uma mudança nesse cenário com a compra deste setor pela Microsoft, que deverá ser finalizada no primeiro trimestre do ano que vem.

As vendas líquidas do grupo foram de 5,7 bilhões de euros, sendo 2,9 bilhões da área de serviços e dispositivos, acima das vendas da Nokia Solutions and Networks (NSN), que ficaram em 2,6 bilhões de euros.

Na área de serviços e dispositivos, os celulares tradicionais foram responsáveis por 1,5 bilhão de euros, o que representa uma queda de 37% em relação ao terceiro trimestre de 2012. Os smartphones ficaram com a fatia de 1,2 bilhão de euros, o que também significa uma queda em relação ao ano anterior (-28%).

Quanto ao número de dispositivos vendidos, foram 55,8 milhões de celulares tradicionais e 8,8 milhões de smartphones. Enquanto os celulares tradicionais tiveram uma queda de 22% frente ao ano passado, os smartphones tiveram um crescimento de 40%. Em relação ao segundo trimestre, também houve um crescimento, de 19%.

Na divisão da NSN, 1,2 bilhão de euros das vendas veio da área de banda larga, e 1,3 bilhão de euros, da área de serviços, representando quedas de 23% e 22%, respectivamente, em comparação com o terceiro trimestre de 2012. O lucro operacional foi de 166 milhões de euros. A HERE, divisão de serviços de mapas e localização da Nokia, apresentou vendas de 211 milhões de euros e um lucro operacional de 14 milhões de euros, um bom resultado comparado com o prejuízo de 89 milhões registrado no segundo trimestre.

Tópicos: Celulares, Indústria eletroeletrônica, Lucro, Nokia, Empresas, Empresas de tecnologia, Smartphones