Parte do sucesso do Super Muffato se deve ao desenvolvimento por que passaram as regiões que a empresa escolheu para atuar nas últimas décadas. Antes da colonização do Brasil, o local em que se encontra hoje a cidade de Cascavel, no Paraná, sede do Muffato, era caminho dos indígenas e, nos séculos que se seguiram, dos tropeiros do Brasil e países vizinhos. Após os anos 30, o ciclo da madeira atraiu muitas famílias italianas, alemãs e polonesas que viviam no Rio Grande do Sul e Santa Catarina, criando a base da população local.

Cascavel foi criada em 1952 e, em 50 anos, tornou-se a cidade pólo do Oeste paranaense, região com mais de um milhão de habitantes. É uma das cidades que mais crescem no Brasil, graças às terras férteis e a forte presença da agroindústria, avicultura, produção de leite e suínos. Hoje, com mais de 250 000 habitantes, Cascavel tem um PIB de aproximadamente 1,2 bilhão de reais e conta com aeroporto. Foi ali que o Super Muffato nasceu e cresceu. Inicialmente, na década de 70, numa sociedade entre os irmãos José Carlos (o Tito) e Pedro Muffato e Hermínio Bento Vieira. Em 1988, os irmãos desfizeram a sociedade e, a partir de 1989, o Super Muffato iniciou carreira solo nas mãos de Tito e Hermínio.

Nos anos 80, o negócio havia prosperado com a inauguração de lojas em Foz do Iguaçu, no auge da construção da hidrelétrica de Itaipu. A região da Foz do Iguaçu começou a atrair brasileiros e espanhóis no final do século 19 para produzir erva-mate e extrair madeira. No começo do século 20, a região ganhou impulso com a distribuição de terras para colonos. Nos anos 60, com a inauguração da Ponte Internacional da Amizade, ligando Brasil e Paraguai, a cidade teve seu desenvolvimento acelerado. Com a construção da hidrelétrica, na década seguinte, a população cresceu de 34 000 para 140 000 habitantes.

Hoje, a Foz tem cerca de 260 000 habitantes e um PIB aproximado de 1,2 bilhão de reais. Tem seu forte nas áreas de vestuário, calçados, alimentos, madeira e produção de minerais não-metálicos. Mas o maior trunfo local é o turismo. É a quinta cidade do Brasil que mais recebe turistas estrangeiros, atraídos especialmente pelas Cataratas e por Itaipu.

Poucos meses antes de morrer, o patriarca Tito Muffato percebeu que, para crescer, precisava expandir para o Norte do estado, uma região rica, que prosperava com o agronegócio. Chegou a abrir a primeira loja em Londrina, a pequena Londres, terceira maior cidade da região Sul. Seus filhos mantiveram a rota de crescimento nessa direção. A cidade de Londrina, hoje sede comercial da Muffato, exerce uma influência sócio-econômica em todo norte paranaense, no sul do Mato Grosso e no oeste paulista. Atinge uma população de mais de seis milhões de pessoas num raio de 100 quilômetros. Com PIB superior a 2,5 bilhões de reais, o município tem sua economia baseada no agronegócio. Como o solo da região é de terra roxa, considerado um dos mais férteis do mundo, é um verdadeiro oásis para diversas culturas, especialmente o café e a soja.

Com apenas 70 anos e um dos marcos iniciais da colonização do norte paranaense, Londrina surgiu como posto avançado da Companhia de Terras Norte do Paraná, uma subsidiária da empresa inglesa Paraná Plantation, que pretendia abrir por ali áreas para o cultivo de algodão. A cidade teve crescimento populacional acelerado e altas taxas de expansão ao longo de sua história, impulsionadas, especialmente pelo ciclo do café. Hoje, a cidade acolhe várias etnias e tem uma das maiores colônias japonesas do Brasil.

A partir de Londrina, o Muffato se dirigiu para o interior paulista. No ano passado, abriu a primeira loja em Presidente Prundente, uma cidade de mais de 200 000 habitantes, parque atacadista e varejista de grande porte em diversos segmentos e também é pólo universitário. Neste região, estao quase 60% das empresas associadas à Fiesp, como fábricas de móveis, indústria de bebidas, produtos eletrônicos, equipamentos agrícolas e industriais, calçados. Na agropecuária, Presidente Prudente se destaca na produção de frutas, cana e mandioca. Tem grande rebanho de gado e produção de leite (é a terceira maior bacia do estado), além de ser um importante pólo de tecnologia agropecuária.

Mas o Muffato não se restringiu ao interior. Há menos de dois anos chegou à capital paranaense, um dos mercados mais competitivos do país. Curitiba deve ganhar em breve uma segunda loja da rede. O interessante, é que o Super Muffato tornou-se a maior rede do Paraná e a 13a do país, com apenas uma loja na capital. Curitiba tem 1,6 milhão de habitantes na área urbana e quase 2,5 milhões na região metropolitana. A renda percapita anual média do curitibano é de 8 000 dólares, 25% superior à média nacional. E a média de crescimento da capital paranaense é de 3,4%, 1,3% superior à média nacional. O Hiper Muffato de Curitiba fica no bairro Portão, uma das regiões mais ricas e populosas da cidade.