Siena - O maior investidor do banco italiano Monte dei Paschi dei Siena está aberto à ideia de fusão com outra instituição financeira, preferencialmente de padrão internacional, disse em documento visto pela Reuters.

O banco mais antigo do mundo corre risco de nacionalização a menos que levante 2,5 bilhões de euros (3,4 bilhões de dólares) numa chamada de capital que deve ocorrer em 2014.

A fundação Monte dei Paschi, entidade não lucrativa próxima aos políticos locais, tem 33,5 por cento do banco, mas está planejando reduzir esta fatia para pagar 350 milhões de euros em dívidas.

No documento, datado de 15 de outubro e com as prioridades estratégicas até 2017, a fundação disse que não queria vender sua fatia aos poucos.

Tópicos: Bancos, Finanças, Crise, Fusões, Fusões e aquisições