Nova York - A seguradora norte-americana AIG divulgou, na noite desta quinta-feira, 31, que teve lucro líquido de US$ 2,17 bilhões (US$ 1,46 por ação) no terceiro trimestre, uma alta de 17% na comparação com o lucro do mesmo período do ano passado, de US$ 1,86 bilhão (US$ 1,13 por ação).

O lucro operacional após impostos ficou em US$ 1,42 bilhão (US$ 0,96 por ação), superando a previsão dos analistas ouvidos pela Thomson Reuters, de US$ 0,94 por ação.

Há cinco anos, a seguradora recebeu um dos maiores resgates do governo dos Estados Unidos durante a crise financeira, que incluiu até US$ 182 bilhões em compromissos de ajuda e acabou por praticamente estatizar a AIG. Em dezembro do ano passado, o Departamento do Tesouro vendeu a última fatia da sua participação na companhia, com o governo afirmando que teve um ganho líquido com o resgate.

A AIG pagou sua dívida de resgate no ano passado e, pelos cálculos do Tesouro, os contribuintes receberam o dinheiro de volta com um adicional de US$ 23 bilhões. A seguradora foi reduzida para pouco mais da metade do seu tamanho.

"O sólido desempenho da AIG neste trimestre destaca os fortes fundamentos dos nossos negócios e se baseia no impulso que geramos no primeiro semestre deste ano", disse o presidente Robert H. Benmosche. Às 18h50 (horário de Brasília), as ações da AIG caíam 3,20% no after hours.

Tópicos: Empresas, AIG, Empresas americanas, Balanços, Lucro, Resultado, Gestão