São Paulo - O Itaú Unibanco deve anunciar hoje o relançamento da sua bandeira de cartões Hipercard, agora batizada de Hiper, conforme fontes ouvidas pelo Broadcast, serviço de informações m tempo real da Agência Estado.

O objetivo da instituição, segundo as mesmas fontes, é concorrer com a também nacional Elo, do Bradesco, Banco do Brasil e Caixa Econômica Federal.

O cartão com a bandeira Hipercard, mais utilizado nas regiões Nordeste e Sul, tem aceitação nacional em cerca de 460 mil estabelecimentos comerciais credenciados no Brasil. São quase 13,5 milhões de cartões emitidos desde a sua criação, em 1970.

O foco do Itaú, conforme a fonte ouvida pelo Broadcast, é reforçar sua bandeira para concorrer em pé de igualdade com a Elo. A Hipercard pertencia à rede de supermercados nordestina Bompreço, comprada pela varejista americana Walmart.

Na mesma operação, o Unibanco ficou com a carteira de clientes da bandeira, em 2004. O foco da Hipercard sempre foi, principalmente, o cliente da classe C.

O lançamento oficial da Hiper deve ocorrer nesta quarta-feira, 2, segundo fontes de mercado. Há uma coletiva de imprensa convocada, a qual terá presença do diretor executivo da área de Cartões do Itaú Unibanco, Milton Maluhy, e do diretor de marketing da instituição, Fernando Chacon. Procurado, o banco não deu detalhes do possível anúncio nem ao menos comentou a criação da bandeira.

Ao repaginar a Hipercard, o Itaú Unibanco reforça o seu foco no setor de cartões, do qual é líder. Este ano, o banco adquiriu a Credicard por mais de R$ 2,7 bilhões, expandindo para cerca de 40% sua participação no mercado.

Antes disso, no fim de 2012, o Itaú investiu cerca de R$ 12 bilhões para tirar a Redecard da bolsa em busca de mais sinergia e rentabilidade na sua operação de cartões. No segundo trimestre, os plásticos emitidos pelo Itaú Unibanco movimentaram R$ 61 bilhões, montante 11,1% maior que o registrado no mesmo período do ano anterior.

Por meio de operações próprias e com parcerias, o banco oferece seu portfólio de cartões de crédito e de débito para cerca de 58 milhões de clientes correntistas e não correntistas.

Exclusividade. Assim como a Elo só é aceita nas máquinas da credenciadora Cielo, as transações feitas com cartões da bandeira Hiper também podem ser capturadas apenas pela Redecard, de propriedade do Itaú, afirmam as fontes.

Essa exclusividade é um dos temas que estão no radar do Banco Central que, ao se tornar regulador desta indústria, pode colocar um fim nos contratos de exclusividade que ainda restam com bandeiras e vouchers (vale-alimentação).

Hoje, somente as bandeiras relevantes, ou seja, com mais de 20% de participação, não podem ter acordos de exclusividade com adquirentes.

Hipercard, agora, Hiper, e Elo disputam o mercado brasileiro com as bandeiras líderes Mastercard e Visa. A Elo, do Bradesco, BB e Caixa, tem como meta ter 15% do mercado até 2016.

Lançada em 2010, a bandeira tem 20 milhões de cartões emitidos e é aceita em 1,3 milhão de estabelecimentos. O faturamento da empresa foi de R$ 2,3 bilhões no primeiro trimestre. As informações são do jornal O Estado de S. Paulo.

Tópicos: Administradoras de cartões, Finanças, Concorrência, Hipercard, Itaú, Bancos, Empresas, Itaú Unibanco, Itaúsa, Empresas brasileiras, Empresas abertas