São Paulo - Os três maiores bancos privados brasileiros, Itaú, Bradesco e Santander, lucraram R$ 29,2 bilhões em 2011, aumento de 7,3% em relação a 2010, considerando a somatória dos resultados contábeis informados pelas companhias. O maior ganho líquido ficou com o Itaú, que anunciou hoje resultado de R$ 14,6 bilhões. Em segundo lugar veio o Bradesco, com lucro líquido de R$ 11 bilhões, ao passo que o banco espanhol informou resultado contábil ajustado aos padrões brasileiros de R$ 3,6 bilhões no ano de 2011.

A expansão dos resultados no ano passado foi puxada principalmente pelas operações de crédito, que cresceram em média 19% em 2011 nos três bancos. O Santander foi o que ficou com o maior crescimento, de 21%. As linhas que mais se destacaram foram o financiamento habitacional, na pessoa física, e a carteira de pequenas e médias empresas, na pessoa jurídica.

As receitas com serviços bancários somaram R$ 41,6 bilhões nos três bancos no ano passado, aumento de 11,5% na comparação com 2010. No geral, as taxas cobradas pela concessão de empréstimos, aberturas de novas contas correntes e operações de cartões de crédito garantiram o crescimento das receitas dos bancos. Só o Bradesco ganhou 2 novos milhões de correntistas em 2011.

No quarto trimestre, o resultado consolidado dos bancos somou R$ 7,3 bilhões, queda de 5,5% ante o mesmo período de 2010. A redução é reflexo principalmente da queda dos juros básicos da economia, a taxa Selic.

Tópicos: Balanços, Bancos, Finanças, Bradesco, Empresas, Empresas brasileiras, Empresas abertas, Itaú, Itaú Unibanco, Itaúsa, Lucro, Santander, Empresas espanholas