Pequim e Portland - A HTC Corp. nunca esteve tão barata para compradores atraídos pela habilidade em hardware e engenharia da fabricante de smartphones.

Após chegar ao topo em 2011, as ações da HTC caíram 88 por cento quando a empresa de Taiwan perdeu participação de mercado para as líderes Samsung Electronics Co. e Apple Inc.

Agora, empresas chinesas, incluindo ZTE Corp., Lenovo Group Ltd. e Huawei Technologies Co., poderiam mirar a empresa de US$ 4,2 bilhões como um alvo a ser adquirido para ajudá-las a ganhar know-how tecnológico e uma marca ainda respeitada e reconhecida, ao passo que expandem sua oferta de acessórios móviles, segundo a Sanford C. Bernstein Co.

“Eles continuam a produzir os melhores telefones para a indústria”, disse Pierre Ferragu, analista na Bernstein em Londres, sobre a HTC. “Eles têm uma marca reconhecida. Por esta perspectiva, eles poderiam ser um alvo para aquisição para uma empresa com mais escala e menos expertise de desenvolvimento de produto e fraco posicionamento de marca”.

As ações da HTC chegaram neste mês quase ao pior nível em oito anos depois que a empresa sinalizou que pode registrar seu primeiro prejuízo trimestral desde 2008, ao menos, em uma base consolidada.

A presidente Cher Wang e sua família detêm participação na HTC e podem bloquear o caminho de uma aquisição enquanto a fabricante de telefones ainda tiver dinheiro para manter o negócio funcionando, segundo a JI Asia.

Reinado curto

A HTC, a primeira fabricante de telefones que usou software da Google Inc., fabricava por contratos antes de começar a promover sua própria marca em 2006.

Em meio à pressão crescente de Samsung e Apple com sua alta tecnologia e de fabricantes chineses com aparelhos mais baratos, a participação da HTC no mercado global de smartphones caiu para 2,8 por cento no segundo trimestre, ante uma fatia de 5,8 por cento um ano antes, segundo dados compilados pela Bloomberg.

Enquanto o crescimento de telefones mais caros está desacelerando, a HTC ainda oferece “o melhor hardware além do iPhone” com seu HTC One, disse Brian Blair, analista da Wedge Partners em Nova York, em entrevista por telefone.

Interesse da Lenovo

A companhia disse em fevereiro de 2012 que “deixou a peteca cair” em relação aos seus produtos, ressaltando fraquezas em desenho e engenharia.

Fabricantes chinesas como Huawei e ZTE são os mais prováveis compradores da HTC, pois estão expandindo em acessórios móveis, segundo Blair e Charles Golvin, da Forrester Research Inc. A Lenovo, a maior fabricante do mundo de computadores pessoais de mesa e laptops, com sede em Pequim, também é uma compradora potencial, disse Ferragu, da Bernstein, por e-mail.

A Lenovo está “definitivamente buscando oportunidades” para aquisições relacionadas a PCs e smartphones, disse em entrevista o CEO Yang Yuanqing, na semana passada.

"Ressurgimento" da HTC

A especulação de que a HTC pode ser vendida é uma “inverdade”, disse Laura Kao, porta-voz da HTC, por e-mail. A HTC continuará a entregar novos desenhos e produtos que levarão a “um ressurgimento total da marca HTC”, disse Kao.

A HTC está depositando suas esperanças na introdução de novos produtos, incluindo modelos baseados na franquia HTC One, para interromper o declínio nas vendas.

Em julho, a HTC prevê a oitava queda consecutiva nas vendas trimestrais e indicou que pode registrar uma perda neste trimestre, sua primeira em uma base consolidada desde pelo menos 2008.

Venda resistente

A ação caiu a 143 dólares de Taiwan em 2 de agosto e chegou à relação preço-vendas mais barata na história, segundo dados compilados pela Bloomberg.

A HTC provavelmente não deseja vender a esse nível e a participação da presidente Wang pode ajudar a bloquear a empresa contra uma aquisição hostil, segundo Jean-Louis Lafayeedney, analista da JI Asia em Hong Kong.

Os compradores podem esperar que o valor da HTC caia mais. James Faucette, analista na Pacific Crest Securities, estima que a empresa seguirá perdendo dinheiro. Ele acredita que o valor justo é perto de 100 dólares de Taiwan, em comparação com o preço de fechamento de mercado de ontem, que foi de 149,5 dólares de Taiwan.

Está ficando difícil para a HTC executar qualquer medida em um momento em que suas opções tornam-se mais limitadas como uma entidade independente, disse Will Stofega, diretor de programa na empresa de pesquisas IDC.

“O negócio agora, se você vai estar nisso, é ter parcerias”, disse Stofega em entrevista por telefone. “Você não pode fazer isso sozinho.”

Tópicos: Fusões e aquisições, Aquisições de empresas, HTC, Empresas de tecnologia, Lenovo, Empresas chinesas, Smartphones, Indústria eletroeletrônica