Tóquio - A Honda Motor Co. quer lembrar ao mundo que carro híbrido é mais do que só o Prius.

No mês passado, a terceira maior fabricante de carros do Japão começou a vender uma nova versão do seu Fit compacto no mercado doméstico, incluindo um híbrido desenhado para superar o domínio global da Toyota Motor Corp. em vendas de carros eficientes em consumo de combustível.

A Honda diz que o Fit híbrido entrega melhor milhagem e custa menos que o Toyota Aqua, uma versão menor do Prius, que é conhecida como Prius c nos EUA. Nas primeiras quatro semanas, as vendas e as encomendas antecipadas atingiram 62.000 unidades: quatro vezes a previsão da Honda, com os híbridos representando 70 por cento.

“O Fit híbrido pode ser um matador do Aqua”, disse Yoshiaki Kawano, analista da IHS Automotive em Tóquio. “É possível que a Honda chegue muito próximo ou até supere o Aqua em vendas”.

Há algum caminho a percorrer. A Toyota vendeu 182.135 Aquas nos primeiros oito meses do ano, mais do que o dobro das entregas do Fit, mostram dados da Associação de Vendedores de Automóveis do Japão; o Fit mais antigo esteve à venda na maior parte desse tempo.

Tomar a liderança da Toyota no Japão não apenas desenvolveria a imagem da nova tecnologia da Honda no único grande mercado onde os híbridos vendem mais que os carros a gasolina, mas também daria ímpeto à Honda em seu enfrentamento com o Camry, da Toyota, pelo posto de número 1 nos EUA.

A Honda vendeu 231.440 híbridos em todo o mundo no ano passado, enquanto a Toyota vendeu 1,2 milhão. O Prius, da Toyota, e o Aqua são os dois modelos mais vendidos no Japão, seguidos pelo Fit.

Perspectivas do Fit

Desafiar a Toyota com híbridos nos EUA colocaria a Honda um passo mais perto de um retorno buscado há muito tempo. A última vez que o Accord venceu o Camry em vendas nos EUA foi há mais de uma década. Ele reduziu a diferença em 2013, vendendo 282.102 unidades até setembro contra 318.990 do Camry.

No Japão, o Fit reformulado provavelmente registrará cerca de 200.000 entregas em seu primeiro ano cheio de venda, mais ou menos o mesmo que o Aqua, diz Koichi Sugimoto, analista de automóveis da BNP Paribas em Tóquio. A última vez que o carro de pequeno porte da Honda esteve no topo dos gráficos mensais no Japão foi em maio de 2011, antes do lançamento do Aqua, mostram dados da Associação de Vendedores.

“É um lançamento muito aguardado e é o primeiro modelo global que mira os países emergentes também”, disse Kota Yuzawa, analista de carros da Goldman Sachs Group Inc. em Tóquio. “É um modelo muito importante para o preço das ações da Honda”.

As ações podem subir 27 por cento no próximo ano, com base em uma previsão média de analistas monitorados pela Bloomberg. Apenas 1 em 23 recomendou que os investidores vendessem ações da Honda.

Novas táticas

A Honda mostrou que tais ganhos podem ser passageiros: o Insight, da empresa, fez história em abril de 2009 quando se tornou o primeiro híbrido a superar em vendas todos os modelos a gasolina no Japão. O Honda Fit foi o número 2. O Toyota Prius ficou para trás, em 21º.

Em maio, o Prius liderou o gráfico, no qual se acotovelou pela liderança com o Fit até que a introdução do Aqua no final de 2011 relegou a Honda a um distante terceiro lugar.

O novo Fit mostra que a Honda mudou de tática, sacrificando alguma lucratividade para ter certeza de que o carro será precificado de forma competitiva, disse Yuzawa, da Goldman. O híbrido menos caro custa 1,63 milhão de ienes (US$ 16.800) no Japão, 3 por cento menos que o preço-base do Aqua, mesmo com uma transmissão semiautomática, que gera eficiência de combustível e uma bateria de íon-lítio.

“Eles estão prontos para brigar com a Toyota em termos de tecnologia”, disse Yuzawa. “Realmente querem ser o número 1”. A rival da Honda, com sede na cidade de Toyota, provavelmente se defenderá melhorando a economia de combustível do Aqua ou reduzindo preços, disse Yuzawa.

A Toyota sempre busca ganhos de eficiência, disse Shiori Hashimoto, uma porta-voz. Ela não quis comentar sobre planos específicos.

“Eles certamente virão com melhor economia de combustível no próximo Aqua e então nós teremos que tornar o nosso ainda melhor”, disse Takashi Imai, chefe de vendas do Fit no Japão, em uma entrevista. “Essa guerra nunca acabará”.

Tópicos: Carros híbridos, Carros verdes, Carros, Autoindústria, Guia de Carros, Concorrência, Empresas, Honda, Montadoras, Empresas japonesas, Honda Fit, Toyota, Toyota Prius