São Paulo — A companhia aérea GOL continua enxugando custos para reverter o prejuízo de R$ 710 milhões registrado em 2011. Segundo reportagem da Folha de S.Paulo publicada neste sábado, a empresa deve demitir mais 500 de seus funcionários a partir do dia 17 de maio — ao menos cem delas seriam tripulantes, de acordo com o jornal.

Ainda segundo a Folha, a empresa iniciou um programa para atrair voluntários interessados em deixar a empresa. Quem quiser sair da GOL tem até dia 17 para se inscrever.

As novas demissões fazem parte da mudança de rumo que a empresa vem adotando, estratégia descrita na edição 1015 de EXAME. Em abril, 26 cargos de gerência e quatro de diretoria haviam sido cortado pela empresa, somando-se a demissões que teriam chegado a 800 funcionários, incluindo pilotos e copilotos.

Mais prejuízo

No primeiro trimestre de 2012 a situação parece não ter melhorado para a empresa: prejuízo de R$ 41,4 milhões. No mesmo período de 2011, a GOL havia lucrado R$ 69,4 milhões.

Tópicos: Aviação, Setores, Setor de transporte, GOL, Empresas, Empresas brasileiras, Serviços, Companhias aéreas