Detroit - A General Motors divulgou um lucro trimestral melhor que o esperado nesta quarta-feira, apoiada em fortes resultados nos Estados Unidos, seu principal mercado, e com o primeiro aumento da receita na Europa em dois anos.

O vice-presidente financeiro da companhia, Dan Ammann, disse que a unidade europeia da maior montadora dos EUA continua no caminho para sua meta de atingir o equilíbrio entre receitas e despesas no próximo ano.

A deficitária unidade europeia da GM tem sido um foco importante para os investidores desde que a montadora tornou-se uma empresa pública em 2010, após ter passado por uma recuperação judicial e ter recebido uma ajuda do governo 49,5 bilhões de dólares. A GM perdeu dinheiro na região por 13 anos consecutivos.

O lucro líquido da montadora atribuível aos detentores de ações ordinárias caiu para 757 milhões de dólares, ou 0,45 dólar por ação no terceiro trimestre, ante 1,48 bilhão de dólares, ou 0,89 dólar por ação, no mesmo trimestre do ano anterior. Mas o lucro operacional subiu quase 15 por cento, para 2,64 bilhões de dólares.

Excluindo itens extraordinários relacionados à recompra de ações preferenciais e despesas fiscais, a GM lucrou 0,96 dólar por ação, dois centavos a mais que os analistas consultados pela Thomson Reuters I/B/E/S esperavam.

A receita no trimestre cresceu 3,7 por cento sobre um ano antes, para 38,98 bilhões de dólares, mas a cifra veio abaixo dos 39,49 bilhões esperados por analistas.

O lucro operacional da GM na América do Norte saltou 27 por cento, para 2,19 bilhões. Analistas esperavam, em média, 2,13 bilhões de dólares.

Já o prejuízo na Europa caiu em mais da metade, para 214 milhões de dólares, ante perda de 487 milhões de dólares em igual etapa do ano passado, com a GM cortando custos e elevando a receita na comparação anual pela primeira vez em dois anos.

O lucro da unidade sul-americana da empresa saltou 79 por cento no trimestre, para 284 milhões de dólares, acima da expectativa de 102,9 milhões apontada por analistas.

Tópicos: Balanços, GM, Empresas, Montadoras, Empresas americanas, Lucro, Setores, Autoindústria, Indústria