São Paulo - A Energisa e Copel irão insistir para competir pela aquisição do controle acionário do Grupo Rede Energia, mesmo com a exclusividade que a CPFL e a Equatorial têm atualmente para negociar a compra do grupo, informou o diretor de Relações com Investidores da Energisa, Maurício Botelho, à Reuters, nesta quarta-feira.

Ele considera que o aporte necessário para recuperar todo o Grupo Rede tende a ser maior que os 773 milhões de reais estimados no plano de recuperação do atual controlador.

Tópicos: Fusões e aquisições, Aquisições de empresas, Copel, Empresas, Estatais brasileiras, Energia elétrica, Empresas brasileiras, Empresas estatais, Serviços, Empresas abertas, CPFL, Energisa, Holdings, Equatorial, Negociações, Rede Energia