São Paulo - A Natura está se preparando para lançar uma nova plataforma online onde os consumidores poderão ajudá-la a criar soluções inovadoras para sua indústria. A ferramenta será a nova base do fórum de ideias "Cocriando Natura", que hoje ocorre no Facebook

Ela só deve ficar totalmente pronta em fevereiro do ano que vem, mas foi apresentada aos “cocriadores” mais ativos do projeto na quinta-feira (4), em São Paulo, em primeira mão. Foram cerca de 30 clientes convidados. 

O principal objetivo do "Cocriando" é chamar quem se identifica com as marcas e produtos da Natura (e acredita na colaboração) para desenvolver ideias, conceitos, modelos, produtos ou serviços junto com a companhia.

O programa nasceu em 2012 com um projeto piloto de inovação coletiva chamado "Primavera", em um grupo fechado do Facebook.

"O insight vem sempre de um olhar de fora que reverbera por dentro. Percebemos que muita gente lá fora, consultores e clientes, conheciam bem a Natura e resolvemos convocá-los a participar", conta Juliana Nascimento, coordenadora de gestão de redes e inovação da empresa. 

A ideia deu certo e, no ano passado, foi lançada a primeira plataforma do "Cocriando". Mas a tecnologia havia sido comprada "pronta" e não oferecia ao usuário a experiência completa desejada pela Natura. Por isso, o projeto voltou para o Facebook até que a empresa pudesse desenvolver seu próprio sistema.

"Antes era preciso se cadastrar para ver o conteúdo, era difícil. E mesmo assim tivemos 1.800 pessoas inscritas, com 14% de interação", conta Juliana.

Como funciona

Atualmente, o "Cocriando" funciona em uma comunidade fechada no Facebook. A empresa identifica internamente os desafios que podem ter soluções desenvolvidas em conjunto com a comunidade e lança as "jornadas de cocriação" na rede social.

A jornada nada mais é do que o processo de inspiração, discussão, seleção e definição de ideias sobre um determinado tema. Ela acontece em fases virtuais e encontros presenciais que têm prazos pré-determinados.

Desde o ano passado, 8 delas já foram realizadas. Foram tratados assuntos variados como "Transparência" (com o objetivo de encontrar inovações que ajudem a Natura a ser mais transparente), "Mamãe e Bebê" (sobre cuidados entre mãe e filho) e "Presentes" (sobre como surpreender).

De volta ao Facebook há apenas dois meses, a comunidade do "Cocriando" já conta com cerca de 2.000 pessoas e cada jornada (ou grupo) tem aproximadamente 150 participantes engajados.

No momento, está aberta a jornada de "Bem Estar", ainda na fase de inspiração. Nesse estágio, está sendo discutido o que o bem estar significa para cada um e como alcançá-lo, por exemplo. A etapa seguinte, de sugerir inovações para o tema, já deve ser realizada na nova plataforma. 

Outros recursos

O novo sistema vai possibilitar ao "Cocriando" o compartilhamento de vídeos e fotos dentro das discussões, o que hoje não é possível. 

Além disso, a plataforma será totalmente aberta e o conteúdo compartilhado nela estará visível para qualquer internauta, diferente do que ocorre agora. Para dar palpites e cocriar, entretanto, será necessário fazer um perfil.

A cada interação na rede, os participantes receberão "medalhas" virtuais como reconhecimento. Posteriormente, os "cocriadores" que acumularem mais medalhas serão convidados a participar de “experiências” ligadas à Natura, como o evento desta quinta-feira, que ocorreu em um spa.

"Quanto mais gente interagir, mais inovação vai haver", afirma Juliana.

Time "Cocriando"

O movimento "Cocriando Natura" envolve setores variados da empresa, como jurídico, TI e comunicação, mas é encabeçado pela gestão de redes e inovação.

É essa a área responsável por fazer a curadoria das ideias relevantes surgidas na plataforma, elaborar um relatório e encaminhá-lo para o time que poderá colocá-las em prática.

Segundo Juliana, nem todas as sugestões envolvem mudanças palpáveis e, por isso, é difícil dizer quantas já foram implementadas. "A jornada de transparência, por exemplo, trouxe 'inputs' valiosos que mudaram a forma de pensar dos nossos líderes, mas isso não dá pra contabilizar", disse.

Uma das ideias que está tomando forma de produto, porém, é um estojo criado a partir de histórias discutidas na rede, que chegará ao mercado no ano que vem. 

No ano passado, a Natura investiu 158 milhões de reais em projetos de inovação. Este ano, a quantia foi de 181 milhões de reais.

Tópicos: Consumidores, Inovação, Natura, Empresas, Indústrias em geral, Empresas brasileiras, Empresas abertas, Indústria de cosméticos