PARIS - A produtora de videogames Gameloft disse nesta segunda-feira que seu conselho de administração rejeitou oferta de aquisição não solicitada feita pelo grupo de mídia Vivendi, por ser contra os interesses da companhia e seus acionistas.

O acordo não tem lógica industrial e a oferta de 6 euros por ação da Vivendi não reflete o valor real e o potencial futuro da empresa, disse a Gameloft em declaração. A oferta, abaixo do atual preço de ações da Gameloft, avalia a companhia em cerca de 513 milhões de euros.

A Gameloft disse que considera hostil a construção pela Vivendi de uma parcela de ações da empresa de mais de 30 por cento. A família Guillemot, fundadora da produtora, em fevereiro ampliou sua própria parcela para 20,29 por cento do capital e para 28,42 por cento a fatia com direito a voto.

A Vivendi, que reprogramou o foco de seus negócios em torno do Universal Music Group e da emissora de TV paga Canal+ Group, quer entrar novamente no negócio de videogames para impulsionar sua posição no setor de conteúdo e mídia.

A Vivendi se desfez da Activision Blizzard em 2013 para reduzir dívida. O presidente do conselho da Vivendi, Vincent Bollore, disse que quer construir uma potência de mídia europeia para competir com rivais que incluem o grupo de TV paga Sky até o grupo de rádio e editoras alemão Bertelsmann.

Tópicos: Fusões e aquisições, Aquisições de empresas, Ações, Vivendi, Empresas, Empresas francesas