São Paulo - Tirar alguns minutos do dia para meditar pode ajudar não só no aumento da concentração e no alívio do estresse. Para executivos, a prática pode ser um instrumento para liderar melhor, ser mais criativo e tomar decisões acertadas. Pelo menos é isso o que sugerem especialistas e pesquisas. 

De acordo Rajshree Patel, instrutora da ONG internacional "Arte de Viver", fundada pelo líder espiritual indiano Sri Sri Ravi Shankar, ao esvaziar os pensamentos e se concentrar na respiração, as pessoas se tornam mais produtivas e eficientes e são mais capazes de inovar. "A criatividade e a inovação somente surgem de uma mente limpa", afirma. 

Apesar de serem notados em qualquer pessoa que se aventure pela prática, os benefícios da meditação seriam acentuados para líderes e executivos devido ao peso da função que eles exercem, de acordo com Rajshree.

"Quanto mais responsabilidades alguém tem, de mais energia calma precisa em seu sistema. Por isso os executivos de grandes empresas são tão beneficiados pelas técnicas de meditação", afirma. 

Confiantes nessa teoria, grandes companhias como Shell Oil, IBM e Morgan Stanley já convidaram a instrutora para ministrar palestras e workshops para suas equipes. Também não à toa, o hábito de meditar foi adotado por empresários bem-sucedidos como Steve Jobs, fundador da Apple, e Ray Dalo, fundador da empresa de investimentos Bridgewater Associates.

Conexão natural

Segundo Rajshree, um dos motivos por que os efeitos de meditar podem ser tão positivos é o fato de essas técnicas ajudarem a lidar com sentimentos provocados pela conexão natural que cada pessoa tem com o passado e o futuro - e que são fontes de estresse.

"Quando pensamos no passado, geralmente surgem emoções negativas (raiva, arrependimento, culpa) e quando nos preocupamos com o futuro (como a minha empresa vai estar amanhã?), ficamos com medo. A solução para lidar com isso é aprender a acalmar a mente a partir do interior", explica. 

Conforme acredita a instrutora, a meditação também torna os líderes mais inspiradores. "Um líder precisa de inspiração para mover o time adiante, pois nossa vibração é mais poderosa do que a nossa comunicação verbal. Quando a nossa energia está negativa, a inspiração fica fraca, por isso é importante ter uma mente tranquila", diz. 

Para o empreendedor Bernardo Bonjean, fundador da Avante.com e ex-participante de cursos da "Arte de Viver", o principal ganho que a meditação trouxe foi a clareza dos pensamentos.

"Antes, minha cabeça oscilava entre muitas ideias e parece que, depois que eu adotei a prática, tenho muito mais objetividade. Sinto que faço as coisas de forma mais simples e eficiente", conta. 

Tomada de decisão

Um estudo publicado em fevereiro pela escola de negócios INSEAD em Singapura indica que a meditação pode, inclusive, ajudar quem comanda uma empresa a tomar melhores decisões quando é necessário dar um novo rumo aos negócios. O material foi divulgado pela Bloomberg Businesweek.

Em uma parte da pesquisa, os participantes foram convidados a assumir as responsabilidades de um presidente de empresa que estava diante de um sério impasse: ele havia investido 9 milhões de dólares (de um orçamento de 10 milhões de dólares) em um novo produto, mas descobriu que um concorrente havia desenvolvido um item parecido, que funcionava melhor e era mais barato. 

Antes de decidir se deveria ou não empregar o milhão restante naquela iniciativa, um grupo realizou um exercício de medidatação de 15 minutos. O objetivo era esvaziar a mente para focar no presente por meio de um processo de concentração na respiração. 

Dos participantes que meditaram, 53% decidiram abandonar o projeto - a decisão mais racional diante das circustâncias, de acordo com os pesquisadores. Já entre os que não meditaram, só 29% optaram por desistir. 

Tópicos: Estresse, Gestão de negócios, Gestão, Inovação, Liderança, Pesquisas, Apple, Steve Jobs, Personalidades, Empresários