São Paulo - A FMU não confirmou se foi ou não vendida por 1 bilhão de reais à rede americana  Laureate, conforme os rumores desta semana. A empresa afirmou apenas que existe uma aliança formada entre as duas e que passa pela análise e aprovação do Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) no momento.

Segundo Arthur Macedo, vice-reitor executivo do grupo de ensino, somente após análise do Cade, o formato da operação e os valores envolvendo o negócio serão revelados. "Não tenho esses números para passar agora, mas posso adiantar que com a Laureate, vamos triplicar nosso número de alunos nos próximos três anos", disse Macedo, em coletiva com a imprensa, nesta sexta-feira. O executivo acredita que até a próxima semana já tenha outros detalhes do negócio.

Atualmente, a FMU tem cerca de 68.000 alunos e o crescimento daqui para frente se dará nos diferentes formatos de cursos que a faculdade oferece. "Boa parte dessa expansão, cerca de 60%, virá do ensino à distância", disse o executivo. “Nos últimos cinco anos, fomos a rede que mais cresceu organicamente no país”.

A Laureate no Brasil já é dona da universidade Anhembi Morumbi e, com a integração da FMU em suas operações, deve se tornar a maior rede de ensino superior. Segundo Macedo, somando todas os negócios do grupo americano, sem dúvida, "a Laureate será a maior companhia desse mercado no país".

Marca forte

O executivo não detalhou se as duas bandeiras devem se unir ou não, mas garantiu que a marca FMU vai permanecer operando. "É uma marca forte e que tem reconhecimento no mercado. Vale lembrar também que somos quatro vezes maior que a Anhembi Morumbi".

Segundo informações da imprensa desta semana, a FMU teria sido 100% vendida para a rede americana por 1 bilhão de reais. Em janeiro, a revista EXAME, edição 1033, já havia antecipado que a faculdade estava à venda e que despertava a atenção de muitas companhias desse mercado.

Na gestão da companhia, de imediato, não haverá mudanças. O fundador da FMU, Edevaldo Alves da Silva, segue como presidente do conselho e será membro do conselho da Laureate. Sua esposa, Labibi Alves da Silva, continua como reitora da faculdade.

O complexo educacional reúne as Faculdades Metropolitanas Unidas (FMU), Faculdades Integradas de São Paulo (FISP) e Faculdades Integradas Alcântara Machado e Faculdade de Artes Alcântara Machado (FIAM-FAAM).

Tópicos: Anhembi Morumbi, Ensino superior, Educação, FMU, Empresas, Laureate