São Paulo - Elon Musk, dono da Tesla e da SpaceX, e Richard Branson, do Virgin Group, não são os únicos bilionários que almejam ganhar o espaço.

Jeff Bezos, fundador da Amazon, também tem uma fabricante de foguetes, a Blue Origin, e sonha alto.

Criada em 2000, a empresa não é tão conhecida quanto as concorrentes, mas também busca possibilitar o turismo fora da Terra e contribuir para o "futuro da humanidade".

Na terça-feira (8), Bezos abriu as portas da companhia para um grupo seleto de 11 jornalistas pela primeira vez. Na ocasião, ele revelou curiosidades sobre a companhia, da qual pouco se sabia até então.

Segundo o repórter Kenneth Chang, do The New York Times, durante a vista, Bezos contou que estuda foguetes desde os cinco anos de idade.

"Eu nunca imaginei que teria recursos para começar uma empresa aeroespacial. Eu ganhei um bilhete de loteria chamado Amazon.com", disse.

O executivo não abriu, porém, quanto dinheiro investiu para erguer a Blue Origin. "Digamos que foi uma grande quantia", afirmou.

Histórico

Em seus primeiros anos, a Blue Origin tentou encontrar uma maneira de chegar ao espaço que não envolvesse foguetes movidos a combustão química, mas concluiu que não há outra opção.

Em 2005, ela começou, de fato, a desenvolver projéteis.

Sua nave espacial reutilizável voltada para o turismo, a New Shepard, foi lançada aos limites do espaço com sucesso em novembro e retornou em janeiro. Em breve, deve partir novamente. Sua base de lançamento fica no estado do Texas, nos Estados Unidos.

Dependendo dos resultados dos testes, ela pode começar a levar turistas em curtas viagens já em 2018.

No ano passado, a empresa anunciou que também iria lançar foguetes partindo de Cabo Canaveral, ainda nos EUA.

Futuro da humanidade

De acordo com Chang, assim como Musk, Bezos vê a Blue Origin mais como uma peça para a construção de um "futuro glorioso para a humanidade" do que como um negócio rentável.

Ele defende que o consumo de energia da Terra um dia será equivalente a toda a energia produzida pelo Sol que cobre a superfície do planeta, o que obrigaria a humanidade a buscar fontes de recursos energéticos em outros lugares do sistema solar.

"Nós vamos usar toda a energia solar que impacta a Terra. Esse é um limite real", afirmou.

Além do turismo espacial, a Blue Origin quer ainda vender motores de foguetes a outras empresas, como a United Launch Airlines.

Tópicos: Amazon, Empresas, Comércio, Empresas americanas, Empresas de internet, Lojas online, Elon Musk, Espaço, Ciência, Foguetes, Personalidades, Empresários, Jeff Bezos, Richard Branson, Virgin