Aguarde...

Empresários | 15/03/2011 06:30

Carlos Slim, o homem mais rico do mundo, fica ainda mais rico. Sabe como?

Veja como o maior bilionário que o México já produziu fez e amplia sua fortuna

Getty Images

Carlos Slim, de smoking, na Casa Branca

São Paulo - O produto mais vendável do México, hoje, não são as praias de Cancún, as ruínas astecas ou os quadros de Frida Kahlo - é Carlos Slim Helú, o homem mais rico do mundo.

Nos últimos 12 meses, a fortuna de Slim cresceu 20,5 bilhões de dólares.  Chegou a 74 bilhões,  o que o levou ao topo do ranking dos mais ricos da revista Forbes pela segunda vez consecutiva.

Qual é a mágica de Slim?  Dono das telecomunicações no México, acionista do jornal New York Times e da loja de departamento de luxo Saks Fifth Avenue, Slim é um bilionário um tanto atípico.

Não tem avião particular, não circula com esposas - troféu ( é viúvo há 12 anos) e leva a vida com sobriedade, cercado por seis filhos e quase vinte netos, segundo seu biógrafo, José Martinez.

Não é que ele viva como um monge franciscano - nada disso.  Slim aprecia um bom charuto Cohiba, viaja para os Estados Unidos para assistir a partidas do Yankee (é um sério fã de beisebol) e gasta mais do que um punhado de pesos com sua coleçao de arte.

Mas seu traço mais marcante é outro . A vida inteira ele praticou a arte de comprar barato - principalmente empresas em situações adversas.  O controle de custo na gestão dos negócios complementa essa qualidade.

Nas últimas décadas Slim carrega também acusações de monopolista - de forçar demais para cima as tarifas da telefonia celular no México.  Seja como for, em penetração de celular o México está atrás do Brasil, da Argentina e do Chile.

Este mês, Slim mostra sua face mais generosa, com a inaguração do monumental museu Soumaya, na Cidade do México, que reúne 66 mil peças de arte e será aberto a todo mundo gratuitamente, sempre.  Soumaya era o nome de sua mulher, e é também o nome de uma de suas três filhas.

 

Comentários (0)  

Editora Abril

Copyright © Editora Abril - Todos os direitos reservados