São Paulo - O Bradesco registrou lucro líquido contábil de R$ 4,353 bilhões no quarto trimestre de 2015, cifra 9,0% maior que a registrada no mesmo período de 2014, de R$ 3,993 bilhões. Em relação aos três meses anteriores, quando o resultado foi de R$ 4,120 bilhões, foi identificada elevação de 5,7%.

O lucro líquido contábil do banco, anunciado nesta quinta-feira, 28, ficou em linha com as projeções de analistas do mercado.

A média estimada por 11 casas consultadas pelo Broadcast (Deutsche Bank, Goldman Sachs, BTG Pactual, Credit Suisse, Bank of America Merrill Lynch, Brasil Plural, Citibank, JPMorgan, Safra, UBS e uma instituição que preferiu não ser identificada) apontava cifra de R$ 4,474 bilhões no período.

Broadcast, serviço de notícias em tempo real da Agência Estado.considera que os resultados vieram em linha quando a variação para cima ou para baixo é de até 5%.

No ano passado, o lucro líquido contábil do Bradesco totalizou R$ 17,190 bilhões, expansão de 13,92% na comparação com a cifra de 2014, de R$ 15,089 bilhões.

A carteira de crédito expandida do Bradesco, que considera avais e fianças, fechou dezembro com R$ 474,027 bilhões, leve queda de 0,1% na comparação com setembro, quando estava em R$ 474,488 bilhões.

No comparativo anual, quando os empréstimos totalizaram R$ 455,127 bilhões, o crescimento foi de 4,4%, abaixo do guidance divulgado pelo banco, de aumento de 5,0% a 9%.

A retração dos empréstimos no último trimestre do ano foi influenciada, conforme relatório que acompanha as demonstrações financeiras do banco, pela pessoa jurídica, cuja carteira recuou 0,9% na comparação com os três meses anteriores, para R$ 326,278 bilhões.

Em um ano, porém, subiu 4,0%. A pessoa física totalizou saldo de R$ 147,749 bilhões no quarto trimestre, alta de 1,7% antes o terceiro. Na comparação anual, cresceu 4,5%.

O Bradesco encerrou dezembro com R$ 1,080 trilhão de ativos, montante 4,6% superior ao visto em 12 meses, de R$ 1,032 trilhão. No comparativo com setembro, quando estava em R$ 1,051 trilhão, houve incremento de 2,7%.

O patrimônio líquido do banco totalizou R$ 88,907 bilhões no quarto trimestre, elevação de 9,1% em 12 meses, quando estava em R$ 81,508 bilhões. Já na comparação com o terceiro trimestre deste ano, quando somou R$ 86,233 bilhões, foi vista alta de 3,1%.

O retorno sobre o patrimônio líquido médio (ROE) reduziu 0,7 ponto porcentual de setembro para dezembro, alcançando 20,5%. Em um ano, entretanto, subiu 0,4 p.p. Já o retorno anualizado de 2015 ficou em 19,7% contra 19,8% em 2014.

Lucro ajustado

O Bradesco também informou lucro líquido ajustado de R$ 4,562 bilhões de outubro a dezembro, aumento de 10,4% em 12 meses, quando somou R$ 4,132 bilhões. Em relação aos três meses imediatamente anteriores, quando estava em R$ 4,533 bilhões, foi identificada leve alta de 0,6%.

Segundo o Bradesco, a diferença entre o resultado líquido contábil e o ajustado no quarto trimestre se deve à reversão de provisões técnicas no valor de R$ 276 milhões, impairment de ativos de R$ 472 milhões e passivos contingentes.

Já o lucro líquido ajustado de 2015 totalizou R$ 17,873 bilhões, aumento de 16,4% contra 2014, quando somou R$ 15,359 bilhões.

Neste caso, a diferença, de acordo com o banco, se deve ao reconhecimento de R$ 2,341 bilhões em créditos tributários, usados para reforçar provisões para devedores duvidosos, as chamadas PDDs em R$ 2,222 bilhões, fora reversão de provisões técnicas, impairment de ativos e outros.

O Bradesco comenta seus números do terceiro trimestre hoje, às 10 horas, com a imprensa, e sexta-feira (29) com analistas e investidores, às 9 horas em português (horário de Brasília) e às 11 horas em inglês.

Tópicos: Bancos, Finanças, Bradesco, Empresas, Empresas brasileiras, Empresas abertas, Lucro