Sidney - A mineradora BHP Billiton informou prejuízo líquido de US$ 5,67 bilhões no primeiro semestre fiscal.

Em um claro sinal de deterioração do cenário global para a indústria de mineração, a BHP se curvou à pressão das agências de classificação de risco e de alguns investidores ao cortar seu dividendo de meio de ano em 74%, um movimento que se espera resguardar as contas da companhia.

A decisão se deu após "um dos mais difíceis" anos da companhia de 130 anos, segundo o presidente do conselho de administração, Jac Nasser.

Foi neste período que a empresa sofreu com o rompimento da barragem da mineradora Samarco e viu suas ações despencarem para a mínima em mais de uma década. A BHP registrou US$ 858 milhões em despesas relacionadas ao rompimento da barragem da Samarco.

"As mudanças na política de dividendos anunciadas hoje refletem a avaliação do conselho de administração para a perspectiva de commodities e a maior flexibilidade financeira que isso demanda" disse Nasser.

"Embora o desenvolvimento contínuo das economias emergentes deva sustentar o crescimento da demanda de longo prazo por commodities, acreditamos que o período de preços mais fracos e maior volatilidade será prolongado", observou. 

Tópicos: Balanços, Mineração, Siderurgia e metalurgia, BHP Billiton, Empresas, Prejuízo, Samarco