Valentino, um exemplo

São Paulo – Em sua nova ofensiva pela sustentabilidade no mundo da moda, o grupo ambientalista Greenpece listou o desempenho das grifes de luxo nessa seara. Quinze marcas da alta-costura foram convidadas a responder o questionário da ONG, com 25 tópicos que giram em torno de três seções: política de compra de couro (se é proveniente de criações de gado ligada ao desmatamento de florestas); a origem da celulose usada para fazer embalagens de papel (se também ocasionou a derrubada ilegal de árvores) e, por fim, a qualidade da produção têxtil.

Nesse último item, avalia-se, por exemplo, o uso de produtos químicos perigosos que possam comprometer os recursos hídricos. Quem lidera o ranking, apresentando um desempenho “bom” é a grife italiana Valentino. De acordo com o Greenpeace, a marca é transparente sobre seu compromisso com a implementação de políticas de desmatamento zero para o couro e embalagens e procura reduzir ao máximo o impacto ambiental da produção de tecidos.

Tópicos: Chanel, Empresas, Christian Dior, Empresas francesas, Empresas italianas, Dolce & Gabbana, Gucci, Hermès, Hermès Paris, Louis Vuitton, Prada, Valentino, Versace