Aguarde...

Petróleo | 04/02/2013 21:30

Após queda em 2012, Petrobras vê produção estável neste ano

A produção da estatal, que caiu 2 por cento em 2012, deve manter-se no mesmo patamar em 2013

Mário Rofrigues/VEJA São Paulo

Plataforma da Petrobras

Plataforma da Petrobras: seis novas plataformas da estatal entrarão em operação neste ano

Rio de Janeiro/São Paulo - A Petrobras prevê que a produção de petróleo no Brasil ficará estável este ano e voltará a crescer somente em 2014, depois de a estatal amargar no ano passado a primeira queda anual na extração desde 2004, por conta de paradas de plataformas e redução da eficiência na bacia de Campos.

A produção média de petróleo da Petrobras no Brasil ficou em 1,98 milhão de barris por dia em 2012, registrando queda de 2 por cento em relação a 2011.

"Em 2013 será possível alcançarmos uma produção de óleo somente no mesmo patamar de 2012. Isto porque, necessariamente, teremos grande concentração de paradas programadas de plataformas na primeira metade do ano", disse a presidente da estatal, Maria das Graças Foster, na mesma nota em que foram divulgados os resultados financeiros do ano passado.

A presidente da estatal afirmou que seis novas plataformas entrarão em operação nos campos de Sapinhoá, Baúna e Piracaba, Lula Nordeste, PapaTerra e Roncador este ano, "contribuindo para a elevação da produção a partir do segundo semestre, dando sustentação para o aumento significativo da produção previsto para o ano de 2014".

Com relação à bacia de Campos, a presidente afirmou que o Programa de Aumento da Eficiência Operacional (Proef) já começa a apresentar resultados positivos.

"Por meio do Proef foi possível reverter o quadro de forte queda de eficiência da Unidade Operacional Bacia de Campos, que chegou ao mínimo de 67 por cento em abril de 2012, mês de início do Programa, e retornou aos 78 por cento em dezembro." No mês de setembro, a extração média de petróleo da empresa atingiu o menor volume desde 2008, em 1,843 milhão de barris/dia, entre outros fatores pelo declínio na bacia de Campos, a principal área produtora do país.

Segundo a Petrobras, nos últimos três meses de 2012 houve ainda uma recuperação dos níveis de produção, em função da entrada em operação da FPSO (plataforma) Cidade de Anchieta, adicionando 57 mil barris diários, e aumento da eficiência na bacia de Campos.

A interligação de novos poços nas plataformas P-53 (Marlim Leste), P-51 e P-56 (Marlim Sul), que adicionaram mais 31 mil barris por dia, compensaram parcialmente o encerramento do teste de longa duração de Iracema e o declínio natural de produção, segundo a estatal.

Comentários  

Editora Abril

Copyright © Editora Abril - Todos os direitos reservados