São Paulo -  Ser uma empresa reconhecida no mercado, oferecer muitos benefícios e uma alta remuneração. Nada disso é suficiente para manter um funcionário, caso quem esteja nos cargos de liderança não sirva de exemplo e inspiração. Veja 13 atitudes dos chefes que podem direcionar os melhores funcionários de uma companhia direto para a concorrência, segundo especialistas:

1 Não agir conforme o próprio discurso

"Faça o que eu digo, não faça o que faço". Praticada pela liderança, esta "filosofia" pode causar incômodo e irritação na equipe e levar até mesmo a desligamentos. O coach e sócio fundador da Alliance Coaching Sílvio Celestino dá a isto o nome de "falta de integridade". "É a incapacidade do líder de fazer aquilo que ele diz que é necessário. Por exemplo: ele pede que todo mundo seja pontual, mas nunca chega no horário. Ou até mesmo diz que é preciso reduzir custos e depois faz um gasto excessivo em um evento, ou almoço com clientes", explica. 

2 Não saber dialogar

Aqui entra todo tipo de comunicação ineficaz: desde o diálogo lacônico, em que o líder fala pouco e resume demais o conteúdo da conversa, até grosserias. "Falta de orientação, de feedback, estressa os funcionários e chega uma hora em que ninguém aguenta. A qualidade de vida das pessoas dentro de uma empresa é proporcional à dos diálogos que nela existem, e isso é responsabilidade do líder", diz Celestino. 

3 Ignorar o potencial de crescimento da equipe

Quem é que deseja ficar estagnado na profissão, fazendo sempre a mesma a coisa, sem se desenvolver? Chefes que não reconhecem o potencial de crescimento da equipe e não promovem funcionários nem disponibilizam novas ferramentas e oportunidades de trabalho só provocam desestímulo, segundo Clara Linhares,  professora da área de pessoas da Fundação Dom Cabral.  

4 Prometer e não cumprir

A clássica promessa não cumprida já foi apontada por especialistas consultados por EXAME.com com uma das piores coisas que os chefes podem dizer aos funcionários. Pois ela também pode ser a gota d'água para quem não está muito satisfeito com o emprego pedir logo a demissão. Prometer promoção ou férias e depois dizer que não vai mais ser possível, são as mais comuns, segundo Celestino. 

5 Viver no passado (tecnológico)

Aquele chefe que, em vez de usar as redes sociais impede os seus funcionários de acessá-las, se enquadra neste quesito. É preciso acompanhar as mudanças tecnológicas e entender que o uso de novas ferramentas pode contruibuir para a produtividade, segundo Celestino. "Não dá para se desatualizado em um tempo em que tudo acontece tão rápido. Vejo muito funcionários de hotéis buscando táxis nas ruas. Se eles recebessem um smartphone para ter acesso a um aplicativo que faz esse serviço automaticamente, economizariam tempo e ganhariam em eficiência", exemplifica. 

6 Ser "imprevisível"

"É horrível trabalhar com alguém que a cada hora pede que uma tarefa seja feita de um jeito, que marca uma reinão e desmarca dois minutos antes do horário agendado, que não considera mais importante aquilo que no mês anterior era imprescindível", explica Celestino. 

7 Fazer cortes na equipe para alcançar resultados, sem uma estratégia

Líder que não pensa estrategicamente, não é eficiente. Para Silvio Celestino, um dos principais erros de não planejar os negócios adequadamente é fazer muitos cortes na equipe, na ânsia de obter resultados. "Aí, em uma área em que deveria haver cinco pessoas trabalhando, há somente uma, trabalhando que nem um camelo. Isso não resolve nada!", afirma. 

8 Não permitir inovações

É claro que padrões precisam ser seguidos em qualquer tipo de organização. Permitir e adotar pequenas inovações, porém, é necessário para que uma empresa consiga se manter sempre renovada. "Hoje as pessoas querem liberdade. Portanto, é inviável trabalhar com um chefe que mantém sempre a mesma rotina e quer que tudo seja feito do jeito dele", diz Celestino. 

9 Controlar em excesso

"Ninguém gosta de trabalhar para um chefe que é autoritário a ponto de controlar rigorosamente tudo o que a pessoa faz dentro da empresa, desde a hora em que ela chegou até a que vai embora; que trata os funcionários como se a vida deles se resumisse ao que eles fazem dentro da empresa; que associa empenho a horas trabalhadas, e não a resultados", afirma Celestino. 

10 Colocar apelidos nos funcionários

Chefes que desqualificam o pessoal, se referem aos funcionários de forma pejorativa e colocam apelidos são praticamente um convite para deixar o trabalho, de acordo com Clara Linhares. 

11 Não ouvir

De acordo com o coach Homero Reis, o chefe que não tem abertura para ouvir outros pontos de vista pode, sem querer, incentivar a perda de talentos na sua companhia. "É aquele que diz: eu sou uma pessoa fácil, basta que você me obedeça e me dê o seu melhor". 

12 Levar tudo para o lado pessoal

Segundo Homero Reis, esta é uma questão de pura imaturidade emocional. É o líder que trata relacões de trabalho de forma pessoal, que "acredita que alguém discorda dele, e não da ideia". Por outro lado, tratar todo mundo superficialmente, também não é um comportamento positivo. "Ele precisa demonstrar preoucupação sobre como o funcionário está na carreira e na vida particular", diz Clara Linhares.

13 Não ter visão do grupo

Tratar cada funcionário individualmente é muito importante, mas não se pode esquecer do grupo como um todo, segundo Reis. 

Tópicos: Demissões, Desemprego, Gestão, Empresas, Liderança