Nokia volta a negar venda da área de celulares à Microsoft

Empresas seguem parceiras, garante fabricante finlandesa

A aliança entre a finlandesa Nokia e a americana Microsoft – anunciada em fevereiro de 2011 – sempre foi vista por analistas como um primeiro passo para a aquisição do setor de smartphones da primeira pela segunda. Nesta sexta-feira, contudo, a Nokia voltou a negar publicamente a intenção de se desfazer de sua área mais lucrativa.

“Nós colocamos de lado esses rumores de que a divisão de smartphones seria vendida para a Microsoft. Já os derrubamos diversas vezes”, afirmou David Hall, gerente de comunicações da empresa finlandesa, em comunicado oficial.

Em fevereiro, Stephen Elop, primeiro presidente não finlandês da Nokia, rebateu insinuações de que estaria defendendo mais os interesses de seu ex-empregador, justamente a Microsoft. “Eu não sou um cavalo de Troia”, disse o executivo, diante de acusações de estar trabalhando em uma possível fusão. Na época, analistas de mercado consideraram a aliança como uma forma de as duas companhias barrarem o avanço de Apple e Google na área de telefonia.

Os primeiros modelos de smartphones da Nokia com o sistema operacional Windows Phone, fruto da aliança de fevereiro, apareceram em outubro de 2011, quando a empresa lançou a série Lumia. No Brasil, os aparelhos devem chegar apenas no final do primeiro trimestre.