Mulheres ocupam 10,5% das cadeiras nos conselhos de todo o mundo

Segundo estudo realizado pela GMI Ratings, o número ainda é pequeno, embora tenha se chegado a esse patamar pela primeira vez na história

São Paulo – Uma em cada dez cadeiras de conselhos de administração das companhias em todo o mundo é ocupada por alguém do sexo feminino, segundo pesquisa realizada pela GMI Ratings.

Embora pequenas, as mulheres representam 10,5% das cadeiras nos conselhos, 0,7 ponto percentual a mais na comparação com a última pesquisa realizada pela GMI.

O estudo revelou também que o número de mulheres nos cargos executivos das companhias caiu 0,2 ponto percentual na comparação com o ano passado, totalizando 39,8%.

Nos países desenvolvidos, 63,3% das empresas possuem pelo menos uma mulher no cargo de diretora e 10,5% têm mais de três executivas do sexo feminino. Já nos países emergentes, 44,3% das companhias têm mulheres em nos cargos da diretoria e 6,3% mais de três diretoras mulheres.

Segundo Kimberly Gladman, um dos autores do relatório, alguns países estão criando exigências legais com relação a essa questão.

“No passado ano, a França viu aumentar o número de diretores do sexo feminino devido a uma exigência legal. A Austrália também obteve ganhos significativos. Já nos Estados Unidos, o progresso ainda é lento”, disse Gladman, em nota.

Brasil

De acordo com o estudo, a situação das mulheres nos conselhos de administração não é de se gabar, pois elas representam apenas 4,5% das cadeiras.

Além de pequeno, boa parte das cadeiras é ocupada por mulheres que são membros das famílias que controlam as companhias. Então surge a dúvida: será que elas estão lá por mérito ou pela ligação sanguínea?