Morre um dos donos dos biscoitos Globo, aos 78

A fábrica dos biscoitos de polvilho fica na Lapa, no Rio de Janeiro, e não abriu as portas hoje

São Paulo – Milton Ponce Fernandes, um dos donos da fabrica do Biscoito Globo, morreu hoje, 18, aos 78 anos. Ele estava em Leopoldina, Minas Gerais, onde morava com a família e lutava contra o câncer há seis anos.

A fábrica dos biscoitos de polvilho fica na Lapa, no Rio de Janeiro, e não abriu as portas hoje. Segundo o jornal O Dia, muitos funcionários foram para Minas prestar homenagens ao empresário.

O biscoito, que hoje é Patrimônio Cultural e Imaterial da cidade do Rio de Janeiro, nasceu em São Paulo.

Em 1953, os irmãos Milton, Jaime e João Ponce se mudaram para a capital paulista, para trabalhar em uma padaria. Foi lá que aprenderam a fazer os biscoitos de polvilho e os vendiam nas ruas do bairro Ipiranga.

No ano seguinte aconteceria um congresso eucarístico na capital carioca e os irmãos aproveitaram a oportunidade para ampliar as vendas. Deu tão certo que eles decidiram se mudar para o Rio de Janeiro. Foram contratados por uma padaria chamada Globo e em sua homenagem batizaram os biscoitos, que já eram um sucesso.

De padaria em padaria, expandiram seu negócio. Até hoje, o quitute é vendido na porta da fábrica logo pela manhã, saindo do forno. Dezenas de ambulantes fazem fila para comprar os pacotes que serão distribuídos na orla das praias cariocas.

Em 2015, o biscoito voltou para São Paulo e passou a ser vendido em supermercados St Marche e Empório Santa Maria, voltados à classe alta paulistana.