Monsanto quer ajudar fornecedores a serem mais competitivos

Programa global auxilia empresas que valorizam a diversidade em seu quadro funcional a melhorem os seus processos e tornarem-se mais competitivas

São Paulo – Uma das maiores empresas agrícolas do mundo, a Monsanto resolveu dar uma mão para os pequenos e médios fornecedores que possui no país que tenham mais de 50% do capital social constituído por minorias.

O objetivo é tornar essas empresas mais competitivas com oito meses de treinamento em áreas variadas, como finanças e marketing, além de sessões de mentoria com líderes da Monsanto.

Das 500 fornecedoras potenciais, 50 se inscreveram e apenas seis foram selecionadas para o Programa de Desenvolvimento de Fornecedores de Diversidade da Monsanto no Brasil.

Entre as selecionadas estão empresas lideradas por mulheres, por afrodescendentes e antigos trabalhadores rurais que se tornaram empreendedores. Todo o processo contou com a ajuda de organizações especializadas em minorias.

“Nosso trabalho é exclusivamente com micro e pequenas empresas lideradas por negros, descendentes de indígenas e pessoas com deficiência”, explica Umberto Brito, responsável pela área de relacionamentos institucionais do Integrare, uma das organizações que ajudou na identificação de fornecedores potenciais para o programa.

A WeConnect, outra que trabalhou no processo, conecta empresas de propriedade de mulheres a compradores em todo o mundo.