Lucro da Petrobras deve recuar apesar de melhora operacional

Média das cinco estimativas de bancos apontam para um lucro de R$ 5,41 bilhões no quatro trimestre, 30 por cento menor

Rio de Janeiro – A Petrobras deverá apresentar melhora nos resultados operacionais do último trimestre de 2013, devido aos preços maiores do petróleo e derivados, mas a expectativa é de redução do lucro líquido, afetado pelo câmbio e aumento das despesas com juros da dívida.

A média das cinco estimativas de bancos de investimentos obtidas pela Reuters apontam para um lucro líquido da Petrobras de 5,41 bilhões de reais no quatro trimestre, 30 por cento menor que o registrado no mesmo período de 2012. Para o Ebitda (lucro antes de juros, impostos, depreciação e amortização), a estimativa média é de crescimento de 27 por cento, para 15,16 bilhões de reais na mesma comparação.

Já a receita da Petrobras deve ter crescido 9,8 por cento no quatro trimestre ante o mesmo trimestre de 2012, para 80,58 bilhões de reais, de acordo com quatro estimativas. “Apesar do ambiente que continua desafiador, esperamos recuperação dos resultados tanto na comparação anual quanto na do trimestre imediatamente anterior” disse em relatório o analista Marcus Sequeira do Deutsche Bank.

“A melhora na receita reflete principalmente preços estáveis do petróleo em reais no trimestre, mas maiores na comparação anual … e alta nos preços da gasolina e do diesel nas duas comparações”, disse o analista do Deutsche. A defasagem dos preços da gasolina e do diesel vendidos pela estatal no Brasil em relação aos valores internacionais diminuiu no final do ano, por conta do reajuste concedido em novembro. A Petrobras reajustou o preço da gasolina nas refinarias em 4 por cento e do diesel em 8 por cento.

O Deutsche Bank calcula que a diferença do preço da gasolina no Brasil e o valor praticado no exterior caiu de 21 por cento no terceiro trimestre para 11 por cento no último trimestre do ano passado. Já a defasagem do diesel passou de 23 por cento no terceiro trimestre para 19 por cento no último trimestre de 2013, segundo cálculos do banco alemão.

A preocupação do mercado com a política de preços, entretanto, continua em meio às necessidades de importação da Petrobras, que se viu obrigada a comprar no exterior elevados volumes de gasolina e diesel devido ao forte aumento da demanda por estes combustíveis nos últimos anos.


Impacto Negativo

A alta do dólar, além de turbinar o gasto com importações, deve ter impactado negativamente as despesas financeiras da Petrobras no último trimestre do ano passado, segundo os analistas.

“Esperamos que o lucro seja afetado pelo câmbio e também impacto dos juros sobre a dívida da estatal”, afirmou um analista cujas estimativas fazem parte da pesquisa da Reuters, mas que pediu para não ser identificado. “A dívida da Petrobras cresceu bastante em 2013” Ao fim do terceiro trimestre, a dívida das estatal estava em 250,8 bilhões de reais, ante 196,3 bilhões de reais no fim de 2012. Já a relação dívida/patrimônio líquido, que mede a alavancagem da companhia, subiu de 31 por cento ao fim de 2012 para 36 por cento em 30 de setembro do ano passado.

A Petrobras deve divulgar seu resultado trimestral no próximo dia 25.

Produção

A produção da companhia caiu no ano passado pelo segundo ano consecutivo, para uma média de 1,93 milhão de barris de petróleo por dia (bpd). Mas a expectativa é que a produção volte a crescer neste ano, com a entrada em operação de projetos atrasados e de plataformas previstas no cronograma de 2014.

O analista Caio Carvalhal, do banco JP Morgan, acredita que um crescimento de 5,2 por cento na produção da Petrobras em 2014 se traduzirá em aumento do Ebitda. Mas o resultado deverá ser parcialmente neutralizado, segundo ele, devido à alta alavancagem, e resultados fracos na operação de refino.

O analista Luiz Carvalho, do HSBC, estima aumento de 5,5 por cento da produção da Petrobras neste ano, mas acredita que os resultados operacionais deverão continuar fracos. Em bilhões de reais Petrobras 4o tri 4o tri Variação 3o tri Variação 2013 2012 % 2013 % Receita 80,59 73,40 9,8 77,77 3,6 Ebitda 15,16 11,94* 27,0 13,09 15,8 Lucro 5,41 7,74 -30,1 3,39 59,6 *Ebitda ajustado (Edição de Raquel Stenzel)