Dólar R$ 3,27 -0,54%
Euro R$ 3,65 0,07%
SELIC 11,25% ao ano
Ibovespa 1,36% 64.085 pts
Pontos 64.085
Variação 1,36%
Maior Alta 4,89% RADL3
Maior Baixa -6,09% JBSS3
Última atualização 26/05/2017 - 17:20 FONTE

Jack Ma diz a Trump que vai gerar 1 milhão de empregos nos EUA

CEO do Alibaba disse que pretende alcançar a marca ajudando pequenas empresas norte-americanas a vender produtos para a China por meio de sua plataforma

São Paulo – O presidente do Alibaba Group, Jack Ma, prometeu ao presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, que criará 1 milhão de empregos no país.

O homem mais rico da Ásia pretende alcançar o feito incentivando pequenas e médias empresas a exportar produtos para a China por meio da sua plataforma de comércio eletrônico.

Os dois bilionários se reuniram nesta segunda-feira na Trump Tower, em Nova York.

“$BABA quer criar postos de trabalho nos EUA ajudando pequenos negócios e fazendeiros a vender para a forte classe média chinesa que tem 300 milhões de pessoas”, disse o Alibaba Group no Twitter.

A empresa também lembrou na rede social que tem 450 milhões de clientes cadastrados e que a China “tem uma forte demanda” por mercadorias norte-americanas.

Troca de elogios

“Nós tivemos uma ótima reunião”, disse Trump à imprensa após o encontro, segundo a CNN. O magnata ainda glorificou Jack Ma como “um excelente, excelente empreendedor e um dos melhores do mundo”.

“É emprego. Vocês acabaram de ver o que aconteceu com a Fiat, onde eles vão construir uma forte planta… em Michigan. E nós estamos muito felizes. E Jack e eu vamos fazer algumas coisas grandes”, emendou Trump aos jornalistas.

Ele se referia ao investimento de 1 bilhão dólares que a montadora fará para erguer duas fábricas em Ohio e Michigan, anunciado no domingo (8). Cerca de 2.000 postos de trabalho serão criados.

Jack Ma, por outro lado, declarou: “eu amo a China e amo a América”, ainda de acordo com a CNN.

No ano passado, em entrevista à rede de televisão, o empresário chinês disse que Trump é uma pessoa inteligente e que “ele nunca negligenciará a relação entre a China e os Estados Unidos”.

Guerra por empregos

Desde a corrida eleitoral, Donald Trump tem pregado insistentemente que as empresas norte-americanas e até mesmo as estrangeiras devem aportar dinheiro (e gerar empregos) dentro dos EUA.

De lá para cá, a Ford desistiu de construir uma nova fábrica no México e disse que vai usar o dinheiro para desenvolver carros elétricos nos Estados Unidos, por exemplo. Trump elogiou a decisão da empresa, bem como a da italiana Fiat.

Ele também ameaçou impor tarifas de importação sobre os carros da japonesa Toyota caso ela insistisse nos planos de construir uma fábrica no mesmo país, mas a companhia não recuou.