Incentivo ao esporte virou regra para estas grandes empresas

Neste domingo, Dia do Esportista, confira algumas das grandes empresas que incentivam os funcionários a praticarem esporte e terem uma vida saudável

São Paulo – Em um sítio em Embú, cidade próxima à capital paulista, 350 funcionários do escritório central da Decathlon no Brasil fizeram em janeiro uma reunião anual de balanço um tanto quanto inusitada.

Em vez de sala com ar condicionado, o lugar escolhido foi uma das trilhas da região, onde eles fizeram juntos uma corrida de aventuras, logo depois de definirem as metas para o ano e refletirem sobre como melhorar o negócio.

A situação, estranha para muitas empresas e tão rara em outras, faz parte da estratégia da companhia dentro e fora do país. Fazer esporte é uma rotina depois das reuniões mensais e anuais de todas as 21 lojas brasileiras da varejista.

Há anos a rede definiu que esporte seria seu maior trunfo competitivo entre as maiores varejistas do mundo – e também na maneira de encontrar os funcionários certos e motivá-los.

Ao todo, a companhia conta com 1.400 funcionários no Brasil e 70.000 em toda corporação, todos acostumados à ideia.

Tanto é que, enquanto a reunião em Embú acontecia, outras tantas eram feitas pelas equipes da empresa Brasil afora, com a diferença das modalidades escolhidas, em dias alternados. Em algumas, vôlei ou futebol foram escolhidas, caiaque ou corrida foram as praticadas por outras.

“Não importa o tipo de esporte, importa que todos façam juntos, se superem, mostrem na prática como podem trabalhar, liderar, melhorar unidos”, conta o presidente da empresa no Brasil, Cedric Burel.

Assim como a Decatlhon, outras empresas já entenderam que o esporte pode contribuir com a conquista de funcionários mais entrosados e focados nas premissas da operação.

A Ball, fabricante de embalagens de alumínio para bebidas, realiza um programa de estímulo a atividades esportivas e culturais para seus 2.200 funcionários no país desde 2007.

Em cada uma das 13 fábricas espalhadas pelos país, além do escritório central, uma prática é definida por todos os interessados.

Assim, enquanto 20 pessoas da unidade de Brasília saem para fazer moutain bike uma vez por semana, a operação de Jacareí, interior de São Paulo, conta com um grupo fixo de corrida, formado por 25 membros da equipe.

Como é comum em algumas academias, os funcionários recebem uma cartela, preenchida a cada atividade esportiva praticada por eles com outros da empresa. Como incentivo, prêmios são sorteados para os mais assíduos ao final do ano.

A farmacêutica Novo Nordisk, focada em tratamentos para doenças crônicas, especialmente diabetes, definiu saúde como a premissa básica para a mudança de seu escritório, em São Paulo.

Desde abril no novo endereço, a empresa conta hoje uma área ao ar livre, onde reuniões ou pausas durante o dia são feitas, além de ofertar pista de corrida, sala de ginástica e consulta periódica com nutricionista.

Competições saudáveis

Shell investe R$ 300 mil em um programa de bem-estar para os 800 funcionários, que inclui custear metade do aluguel de uma quadra de vôlei e outra de futebol para a prática depois do expediente.

Batizada de Bem Viver, a iniciativa foi criada em 2007 e implantada em algumas operações fora do país, como Malásia, África do Sul e Holanda. Chegou ao Brasil dois anos depois e já conquistou 70% da equipe brasileira.

Um projeto semelhante foi desenhado pela Suzano, logo após a companhia mapear a má saúde dos 70 funcionários da unidade de Limeira, no interior de São Paulo, em 2004. Diversas iniciativas foram feitas desde então em todas as operações da companhia no país.

Além de promover jogos internos, com campeonatos de futsal, futebol, vôlei e basquete, e contar com um grupo de corridas, a empresa criou um programa de estímulo à vida saudável dos 8.400 funcionários diretos.

Uma competição realizada duas vezes por ano, com 90 dias de duração cada, é feita entre as unidades da companhia para saber quais delas contam com equipes mais saudáveis.

No período, os participantes têm o acompanhamento semanal de nutricionistas, psicólogos e educadores físicos e são incentivados a ter uma alimentação equilibrada e uma rotina de exercícios.

Práticas que acabam sendo incorporadas pelas pessoas que realmente querem viver mais e melhor a partir de agora – independente de onde elas escolherem trabalhar no futuro.