Ikea amplia licença maternidade e paternidade nos EUA

O benefício vale para homens, mulheres, novos pais biológicos ou para aqueles que estão adotando

São Paulo – A Ikea está seguindo o mesmo caminho da Netflix. Pelo menos, no que se refere a direitos para seus funcionários nos Estados Unidos. Quando a Netflix anunciou licença maternidade e paternidade ilimitada, várias companhias, como a Adobe e Microsoft seguiram seu exemplo.

A Ikea foi a última companhia a anunciar a extensão da licença maternidade e paternidade, que passará a valer a partir de janeiro.

Agora, funcionários que trabalham há pelo menos um ano na companhia terão direito a seis semanas de licença remunerada e mais seis semanas recebendo metade do salário. Para quem está na companhia há mais de três anos, o benefício se estende para oito semanas.

O benefício vale para homens, mulheres, novos pais biológicos ou para aqueles que estão adotando, tanto para trabalhadores de tempo integral quanto para aqueles que recebem por hora.

O objetivo é atrair e reter talentos, disse a companhia. O benefício poderá gerar maior lealdade dos funcionários, que trabalhariam melhor e por mais tempo na empresa.

“Nós vemos isso [a extensão da licença paternidade] como um investimento em nossos funcionários, que enxergamos como nosso recurso mais importante”, disse Lars Petersson, presidente das operações da Ikea nos Estados Unidos.

Nos Estados Unidos, apenas 12% dos trabalhadores do setor privado têm acesso a licença remunerada. Isso porque o benefício não é garantido por lei trabalhista.

Já na Suécia, país sede da Ikea, a política de licença é de 480 dias, que podem ser divididos entre os pais.

No Brasil, diversas companhias oferecem até 6 meses de licença maternidade e a Natura, Avon e Twitter são algumas das companhias que adotaram a licença paternidade estendida, de 20 dias ou mais.