Hotéis de Trump chegam a acordo e encerram caso trabalhista

Havia a expectativa de que estes casos seriam um teste inicial de como Trump irá lidar com os temores de conflitos de interesse derivados de seus negócios

Hotéis de propriedade do presidente eleito dos Estados Unidos, Donald Trump, em Las Vegas e Washington informaram nesta quarta-feira que fizeram acordos com trabalhadores, que irão desistir de alegações de que os estabelecimentos violam leis trabalhistas federais.

Mais de 500 funcionários responsáveis por comida, bebida e limpeza de quartos do Trump International Hotel em Las Vegas acertaram contratos de quatro anos, que entram em vigor em 1º de janeiro, que irão proporcionar aumentos anuais, aposentadoria e benefícios de planos de saúde, disseram o grupo Trump Hotels e o Unite Here Culinary Workers Union Local 226 em comunicado conjunto.

Pelo acordo, o sindicato irá retirar uma série de processos apresentados ao Conselho Nacional de Relações Trabalhistas (NLRB, na sigla em inglês) contra o hotel de Las Vegas, disse a porta-voz do sindicato, Bethany Khan.

Havia a expectativa de que estes casos seriam um teste inicial de como Trump, que no cargo de presidente terá influência sobre o NLRB, irá lidar com os temores de conflitos de interesse derivados de seus negócios. Trump será empossado no dia 20 de janeiro.

O Trump Hotels também concordou, ao mesmo tempo, em permitir que os funcionários do Trump International Hotel Washington D.C., inaugurado em outubro, se organizem, informou a empresa.

Na semana passada, democratas do Congresso norte-americano conclamaram Trump a se desligar do hotel de Washington, que ocupa um edifício alugado do governo federal, dizendo que o aluguel irá representar um conflito de interesse porque Trump será ao mesmo tempo seu locador e seu inquilino depois que tomar posse.

*O texto foi corrigido para esclarecer que acordo no hotel de Washington se restringiu a permitir organização dos trabalhadores.