Herdeira da L’Oréal se torna dona da maior fortuna da França

Liliane Bettencourt foi declarada a dona da maior fortuna da França, com um patrimônio de 31,2 bilhões de euros

Paris – A herdeira do império de cosméticos L’Oréal, Liliane Bettencourt, foi declarada a dona da maior fortuna da França, com um patrimônio de 31,2 bilhões de euros, conforme a classificação anual publicada nesta quarta-feira na revista “Challenges”.

Aos 93 anos, ela superou em 2016 o empresário Bernard Arnault e sua família, que controlam o grupo de produtos de luxo LVMH e acumulam 30,33 bilhões, devido principalmente à revalorização dos títulos da L’Oréal na bolsa de valores.

O pódio dos multimilionários franceses tem ainda o principal proprietário da rede de supermercados Auchan, Gérard Mulliez, com uma fortuna de 26 bilhões de euros.

A lista das 500 pessoas mais ricas do país, de acordo com a análise da publicação, foi afetada nesta ocasião pelos altos e baixos das bolsas de valores e pelo impacto desses movimentos em certos acionistas particularmente expostos.

Esses são os casos do presidente-executivo da operadora Altice, Patrick Drahi, que com 75 bilhões de euros perdeu 56%, e de Vincent Bolloré, “número 1” do grupo que leva seu nome, que viu sua fortuna diminuir em um quarto, até os 7,3 bilhões e passou para o 10º lugar.

“Challenges”, que garante que seu estudo é o mais amplo e preciso sobre o capital francês, aponta que os 500 membros desse seleto clube de multimilionários somam ao todo 456 bilhões de euros. Segundo a revista econômica, o patrimônio supera o orçamento do Estado francês, de 373 bilhões de euros, e equivale à riqueza produzida no país em dois meses e meio.

Para fazer a lista, a revista recorre a uma equipe multidisciplinar com analistas em capital de risco, valorização de companhias e transações setoriais que examinam o patrimônio, renda e participações em empresas de 3 mil pessoas-chave na economia francesa.

A “Challenges” afirma que 10% da lista deste ano foi renovada, 2% a mais do que na edição anterior, e destaca que 54 afortunados são mulheres, o que representa pouco mais do 10% do total.